Brasil incentiva comércio eletrônico de artesãos

O desenvolvimento de uma economia digital deve considerar todos os atores produtivos e focar naqueles que necessitam de mais ajuda para se digitalizar. Programas voltados para a regularização de setores da economia informal representam esforços positivos devido aos benefícios potenciais para a economia e para as comunidades em geral.

Nesse sentido, o Estado do Rio Grande do Norte (RN) no Brasil anunciou que os artesãos locais podem comercializar seus produtos na Loja Oficial do Programa Artesão Brasileiro no marketplace Mercado Livre. Dessa forma, eles podem acessar a plataforma de comércio eletrônico que já conta com mais de 600 produtos fabricados por cerca de 50 profissionais do segmento inscritos neste programa.

A loja na plataforma de comércio eletrônico do Programa do Artesanato do Estado do Rio Grande do Norte (Proarte) é mais uma opção para esses artistas comercializarem seus produtos ou serviços. O Rio Grande do Norte tem um total de 9.385 profissionais cadastrados no PAB (Programa do Artesanato Brasileiro) e é o sétimo estado do país em número de artesãos cadastrados no programa. Por meio do Proarte, neste ano, 43 artesãos e entidades representativas foram selecionados para participar da 26ª Fiart – Feira Internacional de Artesanato, que aconteceu entre os dias 4 e 6 de junho de forma online.

Autoridades do RN alertam que, para participar, os profissionais artesãos devem ser cadastrados no PAB e serem cadastrados no SICAB. Esse requisito é essencial para que os produtores possam enviar seus anúncios por meio de um processo de inscrição.

A loja virtual é uma iniciativa do Ministério da Economia e da  Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade (SEPEC / ME), por meio de sua Subsecretaria de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato (SEMPE). A loja já conta com uma plataforma de comércio eletrônico com mais de 600 produtos fabricados por cerca de 50 artesãos cadastrados no programa.

Com a loja, o PAB quer apoiar a inclusão digital e financeira dos trabalhadores cadastrados no Sistema de Informação do Cadastro do Artesão Brasileiro (SICAB), por meio da venda de produtos no Marketplace. Com o objetivo de promover a geração de trabalho e renda.

Para apoiar os artesãos, foi realizado um webinar gratuito sobre como vender em plataformas eletrônicas. Cerca de 5.000 artesãos do Brasil participaram desse treinamento. Além disso, novos materiais e treinamentos gratuitos estão sendo preparados além das ferramentas digitais oferecidas pelo Mercado Livre, buscando incluir cada vez mais artesãos na loja oficial do programa.

Essas ações possibilitam a consolidação do artesão brasileiro gerando um forte impacto econômico no desenvolvimento das comunidades. Essa estratégia precisa vir acompanhada por outras que visem aumentar o acesso da banda larga no mercado, de forma a consolidar as possibilidades de comércio eletrônico.

Nesse sentido, as estratégias desenvolvidas pelas autoridades para implantar serviços de banda larga sem fio tornam-se importantes. Em particular para o desenvolvimento de tecnologias como a LTE e a 5G que, devido às suas condições, podem oferecer serviços de dados robustos e de alta velocidade.

Assim, é importante que as autoridades disponibilizem uma parte maior do espectro radioeléctrico à indústria das telecomunicações, bem como a criação de uma agenda com futuras licitações de espectro que permita às operadoras planejarem de forma eficiente o desenvolvimento de novas tecnologias.

Assim, as oportunidades criadas com o comércio digital permitem que os artesãos do Rio Grande do Norte aumentem sua presença no mercado nacional e internacional. No entanto, é necessário que essas medidas sejam acompanhadas por outras que visem aumentar o acesso à banda larga no país, para que desta forma um maior número de artesãos possam ter acesso a essas ferramentas.