Bolívia implementa programa para aumentar a inclusão digital de meninas

Dentro da própria lacuna digital, há um aspecto importante que já é um desafio por si só para as autoridades: reduzir as diferenças de acesso à internet entre mulheres e homens. Dessa forma, a implementação de programas que buscam melhorar a inclusão digital de meninas é um primeiro passo interessante para mudar esse paradigma.

Nesse sentido, a Bolívia desenvolveu a iniciativa “LAS WARMI TIC”, que tem como objetivo aproximar recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) de meninas, adolescentes, estudantes e mulheres entre 13 e 17 anos de idade.

A meta do projeto é promover a formação e o futuro profissional das jovens nas TIC, sob o lema “Empodere uma menina, dê a ela as ferramentas e ela mudará o mundo”. Essa ação faz parte dos esforços regionais para aumentar o empoderamento das mulheres por meio de recursos tecnológicos e o uso de economias digitais nos países da América Latina.

A iniciativa “LAS WARMI TIC” da ATT Bolívia será desenvolvida em três fases diferentes, que foram estruturadas da seguinte maneira:

Na FASE 1, a interação com as “LAS WARMI TIC” se dará por meio de sessões de webinar uma vez por semana, nas quais serão abordados os seguintes temas:

SESSÃO 1: Planejamento de uma ideia revolucionária com as TICs na Bolívia;

SESSÃO 2: Criação de um aplicativo móvel;

SESSÃO 3: Criação de um jogo online;

SESSÃO 4: Criação de uma página educacional e na

SESSÃO 5: TICs e projetos de segurança cidadã.

Na FASE 2, a modalidade será a realização de oficinas presenciais uma vez por semana nas escolas mais distantes das cidades de La Paz e El Alto. Os encontros envolverão a interação com as mulheres do Departamento de Telecomunicações e TIC, além de uma convidada líder em uma área diferente em cada sessão, seja essa Tecnologia, Engenharia ou Telecomunicações. Essas profissionais irão demonstrar suas ideias para transformar os paradigmas de forma prática.

Na FASE 3, para expandir o projeto “LAS WARMI TIC”, é necessário assinar acordos com entidades públicas e privadas que abordam a tecnologia e a lacuna digital de gênero na Bolívia, a fim de alcançar um maior número de meninas interessadas em uma carreira em tecnologia e fornecer às escolas as ferramentas e recursos necessários para o desenvolvimento dessas jovens.

Deve-se considerar que, dentre os serviços de banda larga móvel, tecnologias como a LTE e a 5G permitirão alcançar áreas que não podem ser atendidas por redes com fio com alta velocidade e robustez de dados. Por esse motivo, é importante que as autoridades da Bolívia criem as condições para que a indústria possa fornecer esses serviços.

Entre as políticas a serem consideradas, destaca-se a oferta de espectro radioelétrico para a indústria de banda larga móvel. Deve-se também considerar a criação de uma agenda que ofereça previsibilidade às operadoras, para que possam planejar eficientemente a implantação de suas redes.

Da mesma forma, é necessário reduzir as barreiras burocráticas que existem ao implantar redes de telecomunicações. Especificamente, é crucial que haja a criação de uma norma que reúna as demandas de diferentes setores do Estado, bem como a geração do conceito de “balcão único de trâmites”, que permite às operadoras ter um único interlocutor, facilitando a apresentação de trâmites burocráticos.

Como pode ser visto, a iniciativa da ATT da Bolívia é muito importante para que as meninas possam ter mais recursos TIC. No entanto, ela deve ser acompanhada por outras políticas que permitam às operadoras melhorar o acesso à banda larga móvel da população, para que a implementação tenha mais sucesso.