Bolívia cria protótipos de dispositivos tecnológicos com o objetivo de beneficiar a população

O desenvolvimento das tecnologias da informação e comunicação (TIC) é uma parte importante da economia dos diferentes países da América Latina. Sua implementação permite um crescimento econômico e uma evolução para o bem-estar da sociedade. Por esses motivos, é necessário contar com apoio para poder avançar em direção às demandas das novas economias digitais.

Atualmente, a Bolívia trabalha para avançar na transformação digital, com o objetivo de aumentar a inovação no país. Estão sendo desenvolvidos dispositivos que promovem o desenvolvimento, melhorando a qualidade dos serviços oferecidos à sociedade, além do desenvolvimento de atividades em ambientes digitais que promovam a digitalização.

Nesse contexto, a Autoridade de Regulação e Fiscalização de Telecomunicações (ATT) e a QUIPUS assinaram um convênio com o intuito de criar protótipos de dispositivos tecnológicos que beneficiem a população e possam continuar promovendo a inovação no setor de Telecomunicações e TICs no país. Isso está sendo coordenado com ações que interajam de maneira eficaz e cooperem estreitamente com temas de digitalização e inovação tecnológica.

Para que a Bolívia possa alcançar a quinta revolução industrial, é fundamental que se concentre no desenvolvimento de tecnologias que permitam a industrialização na digitalização, especialmente por meio da Inteligência Artificial. Isso é crucial porque a reativação econômica depende da tecnologia de maneira transversal para consolidar o desenvolvimento do país.

Entre as vantagens dos protótipos de dispositivos tecnológicos está o estímulo à criatividade, importante para a criação em diversos campos, como o artístico, acadêmico, musical, entre outros.

O desenvolvimento dessas iniciativas se torna uma oportunidade para o surgimento de outras relacionadas às TIC. Sua implementação permite que setores como saúde, educação e até mesmo a indústria possam aproveitar para melhorar suas condições produtivas, assim como para impulsionar o país em direção à digitalização.

Nesse cenário, a conectividade de banda larga é necessária para que essas estratégias implementadas pelo governo possam avançar. Especialmente as tecnologias de banda larga móvel, que, devido às suas características, podem atingir grandes velocidades com acesso robusto a dados em áreas afastadas dos grandes centros urbanos.

Portanto, é importante que as autoridades se comprometam a implementar políticas que disponibilizem à indústria de telecomunicações móveis uma maior quantidade de espectro radioelétrico. É necessário que as autoridades governamentais tenham agendas de futuros leilões, permitindo que as operadoras planejem de forma eficiente seus investimentos em futuras tecnologias.

Devemos buscar a flexibilização das exigências burocráticas existentes na implantação de redes de telecomunicações, pois isso dificulta a expansão para áreas distantes e de difícil acesso. Além disso, é necessário priorizar leis em nível nacional que agrupem todas as demandas dos municípios, a fim de ter uma maior previsibilidade e planejar o desenvolvimento de redes de maneira mais eficaz e eficiente.

Tudo isso, somado a uma redução da carga fiscal existente sobre os terminais de acesso e dispositivos de rede, é necessário para que os esforços das autoridades em aumentar a digitalização tenham um desenvolvimento bem-sucedido e alinhado à realidade. Em outras palavras, as decisões acertadas em relação às medidas de estímulo devem ser acompanhadas de outras estratégias que busquem aumentar o acesso à banda larga na população.