Bolívia busca garantir educação a distância

A pandemia Covid-19 tem causado mudanças em diversos setores produtivos e sociais dos países latino-americanos, principalmente como resultado de medidas preventivas de isolamento social. A educação foi uma das áreas que mais teve que alterar sua forma de funcionamento.

Na Bolívia, o Ministro da Educação, Esporte e Cultura avançou na assinatura de diversos convênios que possibilitam a adoção da educação a distância e o apoio a egressos do ensino médio com abrangência nacional. Dessa forma, o portfólio busca manter a continuidade dos trabalhos pedagógicos por meio de diversos meios alternativos.

Assim, na busca da continuidade da formação acadêmica dos alunos do ensino fundamental e médio, foram firmados diversos convênios com órgãos locais que permitem a implantação e garantia da educação virtual. A possibilidade de manter a educação por meio das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) é um dos principais objetivos do governo boliviano.

O Ministério enfatizou que o encerramento do ano letivo não significa o abandono do trabalho educativo. Assim, o ensino virtual apresenta-se como uma opção para manter as atividades nos diferentes níveis de ensino, razão pela qual foi uma das principais preocupações do ministério.

Um dos compromissos assumidos pelo Ministério é capacitar professores para realizar aulas virtuais de forma eficiente. Constatou-se que cerca de 120.000 professores, de um total de 160.000, participaram dos quatro treinamentos educacionais virtuais oferecidos gratuitamente. No caso dos cursos de ensino médio, o Ministério desenvolveu o Programa de Formação Pré-Universitária, para o qual já se inscreveram mais de 150 mil alunos em todo o país.

Essas medidas são de grande importância para realizar a continuidade pedagógica durante os processos de isolamento social. Tanto a incorporação de aulas virtuais, quanto os cursos de formação de professores são de grande importância para a manutenção desse objetivo. Também é importante trabalhar na geração de conteúdos específicos que possibilitem aprimorar a experiência dos alunos.

Essas medidas devem ser acompanhadas de uma estratégia sólida de conectividade para a população, bem como a entrega e financiamento de dispositivos para os setores que apresentam maiores complicações no acesso à tecnologia. Do ponto de vista da conectividade, as tecnologias de banda larga móvel devem ser consideradas, pois pelas suas características permitem o acesso a áreas distantes dos grandes centros urbanos.

Tecnologias móveis como LTE e em breve 5G irão possibilitar a oferta de serviços de acesso robustos e de alta velocidade. Por isso, é importante a criação de políticas que facilitem o acesso ao espectro radioelétrico para o setor de telecomunicações. Bem como a geração de uma agenda oficial que permita às operadoras terem conhecimento prévio de quais serão as futuras licitações de espectro, para que possam melhor planejar a implementação de novas redes.

É também importante o desenvolvimento de políticas que estimulem a instalação de novas redes de acesso de banda larga móvel. Reduzir as barreiras burocráticas na implantação de novas redes torna-se uma ação muito positiva para a indústria. Bem como a redução de impostos sobre dispositivos de acesso e componentes de rede.

A iniciativa de manter a continuidade pedagógica por meio virtual tornou-se uma ferramenta fundamental para a educação na Bolívia. No entanto, deve vir acompanhada por um estímulo maior para que o setor de telecomunicações possa oferecer mais acesso à população.