BID ajuda financeiramente estados e municípios brasileiros na digitalização

O trabalho de diversos países da América Latina passou a ser orientado pela busca da digitalização da sociedade e da economia. O desenvolvimento de diversos programas e infraestrutura pelos diferentes níveis de governo é uma estratégia que está sendo seguida na região.

Para estimular essas iniciativas, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) viabilizou uma série de linhas de crédito abertas para diversos países da região. No caso do Brasil, o aporte de US$ 1 bilhão está voltado para o desenvolvimento da transformação digital em diferentes estados e municípios.

Embora a transformação digital demande grandes investimentos em sua implementação, a mesma gera resultados positivos quando implementada. Segundo cálculos das autarquias locais, este investimento pode ser multiplicado por até 20 vezes o investimento inicial com diferentes benefícios e adição de capacidade produtiva para o país.

Para ter acesso a esses empréstimos, as empresas devem passar por uma análise de compatibilidade com a estratégia federal de transformação digital. A oportunidade também será fornecida para municípios menores terem acesso a recursos por meio de consórcios de cidades.

Assim, a linha de crédito visa atender à necessidade de promover a digitalização local e regional. Ajudando assim os esforços despendidos pelo Governo Federal ao fomentar a digitalização nas tarefas diárias.

É importante que este tipo de iniciativa tenha como objetivo aumentar o acesso à banda larga no mercado. Pelas suas características, a banda larga móvel, com tecnologias como LTE, e no futuro a 5G apresentam-se como adequadas para aumentar a digitalização do mercado. Dessa forma, as oportunidades de desenvolver diferentes estratégias relacionadas à Internet das Coisas (IoT) que irão promover a digitalização da economia também aumentarão.

Para desenvolver essas políticas, é necessária a criação de estratégias governamentais que busquem aumentar o acesso à banda larga móvel no mercado. Entre elas, destaca-se o aumento na disponibilidade de espectro radioelétrico para a indústria de serviços móveis, bem como a geração de uma agenda que permita às operadoras planejar com eficiência a instalação de novas redes.

Portanto, é importante que além de se candidatar à obtenção de fundos que permitam o desenvolvimento de projetos regionais para aumentar a digitalização, é preciso também um planejamento para promover o desenvolvimento dos serviços de banda larga móvel. Um mesmo projeto com abrangência nacional também deve ser colocado em prática para melhorar o acesso da população, o que é uma medida que deve ser implementada para potencializar esses benefícios.