Bahamas trabalha na geração de agronegócios

O desenvolvimento de uma economia digital requer um trabalho em conjunto entre diferentes setores para potencializar as oportunidades de um mercado. Nesse sentido, é de grande importância o trabalho que as autoridades de cada um dos países realizam para apoiar distintos setores verticais, assim como para criar condições necessárias para o avanço destes.

Considerando estas oportunidades, as autoridades das Bahamas assinaram um acordo com a Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para o desenvolvimento de uma vila digital em Eleuthera. O objetivo da iniciativa é incentivar os agronegócios entre as comunidades rurais e urbanas.

O centro a ser criado proporcionará aplicações e soluções de comércio eletrônico para impulsionar o desenvolvimento agrícola na ilha. Dessa maneira, o Ministério de Agricultura, Recursos Marinhos e Assuntos Insulares da Família das Bahamas espera trabalhar na adaptação deste setor à economia global.

Com a elaboração da vila digital, também busca-se aproximar da “Family Islands a New Providence”, além de ajudar os mercados emergentes a se conectarem não somente a nível nacional, mas também internacional.  Dessa forma, a ferramenta de FAO permite suprir as necessidades dos membros e garantir que tenham acesso à alimentos saudáveis, seguros e nutritivos.

Nesse sentido, a iniciativa busca desenvolver mecanismos, instrumentos, financiamento, investimentos e alianças que apoiem jovens e mulheres empreendedoras rurais, para que possam transformar os sistemas nacionais em sistemas agroalimentares mais eficientes, inclusivos, resilientes e sustentáveis para uma melhor produção, uma melhor nutrição e um melhor meio ambiente.

Do mesmo modo, a inclusão da tecnologia abre uma oportunidade para o acesso a mais dados de melhor qualidade para os produtores. A possibilidade deste setor de estar conectado à banda larga lhe permite ter desde conhecimentos sobre mudanças climáticas, até mais informações sobre preços, tanto dos insumos para exercer suas atividades, como dos próprios produtos que cultivam, para colocá-los no mercado.

Atualmente, qualquer dispositivo móvel conta com aplicativos para melhorar a produção agrícola por meio destas informações, tornando-se uma ferramenta indispensável para o desenvolvimento dessa atividade. Também é importante que estes produtores tenham acesso a serviços de banda larga, para que mantenham-se informados e que, consequentemente,  possam tomar as melhores decisões para seus negócios.

Por estes motivos, é fundamental que as autoridades das Bahamas se mostrem ativas no momento de potencializar o acesso à banda larga no mercado. Particularmente, por meio de serviços móveis, já que por suas características tecnologias como a LTE, e no futuro a 5G, se apresentam como as mais aptas para chegar de forma eficiente a zonas rurais oferecendo altas velocidades de acesso e dados robustos.

Neste sentido, é importante que sejam implantadas políticas que estimulem o mercado a focar no desenvolvimento destas tecnologias. A principal medida a considerar é aumentar a disponibilidade de espectro radioeléctrico para serviços de banda larga móvel, assim como a geração de uma agenda com futuras licitações de espectro que permitam às operadoras planejar de maneira eficiente a instalação de suas redes.

No mesmo caminho, é crucial que se minimizem os entraves burocráticos que pesam sobre a implementação de infraestrutura de telecomunicações. A instituição de uma lei que inclua as demandas dos diversos níveis do Estado, assim como a criação do conceito de balcão único de trâmites, aparecem entre as melhores práticas internacionais.

Por fim, é perceptível que a elaboração de projetos que buscam melhorar os agronegócios e avançar no sentido da digitalização é importante para o desenvolvimento das Bahamas. Ainda assim, devem estar acompanhadas por outras políticas que possibilitem a disponibilização de serviços de banda larga móvel para estimular seus benefícios.