As TICs ajudaram setores econômicos que colaboraram para enfrentar a pandemia

Entrevista com Paul Fervoy, presidente da CAMTIC da Costa Rica. Parte I

O desenrolar da pandemia de Covid-19 gerou prejuízos econômicos, além da saúde, em vários países da América Latina. Nesse cenário, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) apresentaram oportunidades para outros setores manterem ativa grande parte de suas atividades econômicas e produtivas.

Paul Fervoy, presidente da CAMTIC da Costa Rica.

Sobre esta situação, o Brecha Zero conversou com Paul Fervoy, presidente da Câmara Costarriquenha de Tecnologias da Informação e Comunicação (CAMTIC) da Costa Rica. Com 27 anos de experiência no setor de tecnologia digital na América Latina e Estados Unidos, desenvolveu projetos com o Banco Mundial, Nações Unidas, GEF, The Nature Conservancy, USAID, entre outros. Paul, também faz parte do conselho de administração como consultor de startups na Costa Rica e é Mentor do Founder’s Institute e é professor na ULEAD da Costa Rica.

Brecha Zero: Quanto você acha que as TIC influenciaram, em termos econômicos e sociais, a Costa Rica para avançar durante a pandemia de Covid-19 ?

Paul Fervoy: Em primeiro lugar nas questões econômicas, descobriu-se que o fato de a Costa Rica ter um histórico de exportação de serviços baseados em conhecimento, um setor puramente tecnológico e um setor de produtos tecnológicos, que poderia incluir centros de serviços, centrais de atendimento, desenvolvedores de software etc. ficou também claro que esses setores cresceram nos anos da pandemia. E cresceram tanto que, apesar do declínio em outros setores de exportação, como o turismo, não fomos tão afetados quanto poderíamos ter sido. Tivemos um bom equilíbrio no desenvolvimento econômico do país.

Foi positivo para as exportações, não foi positivo para o comércio interno onde o estado era incipiente na transformação digital, o que nos pegou mais de surpresa do que os negócios tradicionais. Tivemos que fazer esforços extraordinários rapidamente e tentar acelerar a escolha das tecnologias digitais. Essa foi uma iniciativa intencional do país, trabalhamos diretamente com a câmara de comércio para que esse processo pudesse ser acelerado.

Na questão social, vimos que embora existissem alguns instrumentos digitais antes da pandemia, eles não eram tão usados ​​até a pandemia. Por exemplo, a assinatura digital de documentos, transferências eletrônicas, que não eram tão utilizadas até a pandemia. Isso não foi apenas acelerado, mas agora é dado como certo que as pessoas preferem essas ferramentas.

Eu diria que houve uma aceleração nas Fintechs, na inovação de novos produtos e também no nosso banco central, que é a entidade que gerencia a assinatura digital. Então é um saldo mais positivo do que negativo, mas de fato em muitas coisas ficamos bastante surpresos com a situação e tivemos que correr para colocar as coisas em ordem.

Brecha Zero: Fora do setor de tecnologia, quais mercados verticais você viu se adaptarem mais rapidamente ao uso da tecnologia durante a pandemia?

Paul Fervoy: Cito dois; o setor de varejo e o setor bancário, o último foi provavelmente o que mais movimentou, habilitando e utilizando esses métodos de pagamento e gestão de serviços financeiros virtuais, mas também surgiram projetos muito interessantes no setor de comércio, desde supermercados, que não tinham serviço de entrega a domicílio e não utilizavam muito o comércio eletrônico. Esses dois setores são os que mais se movimentaram.

Em outros setores, não havia muito o que fazer, como no setor de turismo, mas as inovações começaram a ser implantadas, como promover o turismo interno. A indústria do turismo começou a direcionar sua oferta para o turista doméstico.

Outra coisa foi, destinos turísticos que passaram a oferecer atrações virtuais de seus destinos, promovendo cursos online feitos em uma região específica, com a temática do destino, mas para consumo virtual. É uma forma de consumir, de oferecer experiências desses destinos, mas totalmente virtuais, o que configura uma mudança permanente, onde esses destinos não são mais apenas a experiência in loco, mas a experiência digital antes e depois também. Acho que veremos de forma constante esse apetite por inovação no setor de turismo, essa é a intenção.

Algo que também fizemos no ano passado foi estender os vistos de turista para os chamados nômades digitais, para que as pessoas que querem se divertir no país trabalhando remotamente, trabalhando para suas empresas no exterior, possam ficar um ou dois anos na Costa Rica, trabalhando daqui para suas empresas estrangeiras. Isso também permite a inovação no setor do turismo, onde recebe pessoas que vão ficar um ou dois anos e não apenas pessoas que vão passear. É também uma forma de se reinventar, pois entendemos o papel da Costa Rica em um ecossistema global com novas dinâmicas de participação.

Brecha Zero: Quais são os benefícios que as TICs apresentam no cenário que se avizinha?

Paul Fervoy: Curiosamente, acho que essa questão dos nômades digitais é a primeira que vamos enfrentar como região, que se chama descentralização da força de trabalho, onde de repente empresas de um país estão contratando recursos de outros países com muito mais frequência.

O setor de TIC é um exemplo dessa tendência, onde as empresas procuram talentos em todos os lugares para atender às suas necessidades, e acho que veremos essa tendência em outros setores, onde não se apegam à ideia de localidade ou país e estão começando a contratar trabalhadores remotos de forma muito mais agressiva.

Isso traz desafios, como manter os trabalhadores dentro dos padrões sociais do país. Em questões como a garantia de suas contribuições, que fazem parte da questão tributária. Mas também na sua participação nas indústrias, na forma como se desenvolve a dinâmica de suas carreiras, da sua profissão, do seu sindicato, das reuniões das câmaras ou associações profissionais. Devemos entender a oportunidade que essa forma de trabalho apresenta, mas ao mesmo tempo buscando formas de não perder parte da riqueza que temos em dinâmicas anteriores.