Argentina destaca a importância do espectro radioelétrico para impulsionar a 5G

Cobertura Especial – Entre as tarefas que as administrações públicas nacionais devem implementar para aumentar a digitalização da sociedade e da economia, estão ligadas diretamente a uma  maior disponibilidade de espectro de rádio para impulsionar o crescimento do acesso à banda larga móvel. Tecnologias como a 5G exigirão que o setor tenha acesso a bandas baixas, médias e altas para criar um ambiente digital com exemplos distintos de uso.

Esses foram os temas centrais discutidos durante o evento El camino de Argentina hacia la 5G, realizado no Centro Argentino de Ingenieros (CAI) e que contou com a participação da 5G Americas. Durante o encontro, foram discutidas a importância da banda larga para incentivar a economia do país e os benefícios na criação de condições necessárias para o desenvolvimento da 5G.

O evento contou com a participação de Martín Olmos, subsecretário de Tecnologias da Informação e Comunicação, que enfatizou que a conectividade é fundamental no desenvolvimento do país, das pessoas e das diferentes indústrias produtivas. Ele também explicou que a conectividade é um recurso necessário no fortalecimento da democracia e na garantia dos direitos dos cidadãos.

Nesse sentido, ressaltou que uma das prioridades do governo é a universalização do acesso. Para isso, a importância em ter um planejamento para espectro, com o objetivo de fornecer à ENACOM as ferramentas necessárias para garantir acesso a esse ativo. Explicou que o subsecretariado trabalha duro na identificação de espectro que permitam o melhor desenvolvimento da 5G.

Ele comentou ainda da importância de avançar com o Sistema de Televisão Digital Terrestre (TDT). O trabalho destacado é essencial na realização  do apagão analógico e a consequente disponibilização do espectro para a indústria móvel. Da mesma forma, enfatizou a necessidade de gerar normativas que permitam estimular o desenvolvimento da infraestrutura, reduzindo as barreiras locais ou municipais.

Por sua vez, Celedonio von Wuthenau, diretor de relações governamentais para a América Latina da Nokia, falou em nome da 5G Americas. Em seu discurso, destacou a necessidade da 5G ter acesso às bandas de baixo, médio e alto espectro para atender à variedade de casos de uso da 5G, mesmo para aquelas que ainda não foram criados. Ele também enfatizou que é necessário que esse ativo seja entregue no momento certo para que a indústria possa tirar melhor proveito.

Outro ponto importante que von Wuthenau citou foi a necessidade de criar regulamentos que facilitem a implantação de infraestrutura. Nesse sentido, reforçou que o desenvolvimento da 5G exigirá um número maior de antenas, a implantação de pequenas células (small cells)  e também de fibra ótica na entrega dessas tecnologias como na entrega de velocidades apropriadas.

Dessa maneira, o executivo da Nokia explicou a necessidade de gerar planos de custos apropriados e taxas relacionadas ao leiloar o espectro. Ele explicou que é preciso criar planos mais flexíveis que favoreçam a cobertura, o que consequentemente possibilita uma maior cobertura nos centros urbanos e, também, nas áreas rurais.

Por fim,  explicou a importância de adaptar a estrutura regulatória para que novos serviços associados a 5G possam ser desenvolvidos. Entre essas modificações, destacou a possibilidade de atualizar a neutralidade da rede para adaptar-se a novas realidades do mercado como o fatiamento de rede; proteção de dados privados; grupos de trabalho para segurança e fluxo de dados transfronteiriços.

O encontro trouxe pontos importantes em comum em relação às políticas a serem desenvolvidas para aprimorar as implantações da 5G. Tanto os representantes do governo quanto os da 5G Americas concordaram com a importância de disponibilizar mais espectro de rádio para a indústria e melhorar a estrutura regulatória para que o país obtenha maior produtividade na nova revolução econômica digital.