Argentina conta com assistente virtual para procedimentos governamentais

O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação das instituições estatais de um país é um dos passos necessários para avançar em um ambiente de economia digital. A incorporação de ferramentas que facilitem a interação entre o Estado e os cidadãos é um trabalho que deve ser realizado constantemente.

Nesse sentido, o Governo da Argentina implantou um chatbot baseado em inteligência artificial chamado Tina. Ele está disponível no aplicativo Minha Argentina, no WhatsApp e no site Argentina.gob.ar, oferecendo assistência para a realização de mais de 200 procedimentos, 24 horas por dia, 365 dias por ano.

A iniciativa foi desenvolvida pela Secretaria de Inovação Pública da Direção do Gabinete de Ministros da Nação. Entre outras funções, o chatbot oferece informações e serviços automatizados para toda a população. A versão para WhatsApp é acessada pelo número 11. 3910-1010, que possui um selo verde ao lado do nome do contato, como acontece com todas as contas autênticas e verificadas. O chatbot não faz ligações aos usuários nem solicita nenhum tipo de informação sigilosa.

A assistente virtual permite aos cidadãos solicitar informações sobre os serviços prestados pelo Estado nacional. Também permite receber assistência na realização de procedimentos durante todos os dias do ano e fornece informações sobre plantões, programas sociais e políticas públicas, além de um passo a passo sobre como administrar documentos, bolsas e subsídios.

Outra função oferecida pela Tina é que, uma vez inserido o nome de usuário e a senha do Minha Argentina, o indivíduo tem acesso às informações e credenciais do seu perfil, facilitando o acesso à sua documentação. O programa permite ainda o encaminhamento aos administradores de cada órgão para que, se necessário, possam dialogar com o público, esclarecer dúvidas e intervir em procedimentos que requeiram a participação de um funcionário do Estado.

Com mais de 200 trâmites de órgãos nacionais, o aplicativo permite baixar documentos e consultar informações disponíveis na conta pessoal do Minha Argentina. Entre eles, o Certificado de Registo Criminal, o Certificado Único de Deficiência (CUD), o seu certificado de vacinação contra a COVID-19 e o de seus filhos/ dependentes; e informações sobre turnos.  

Os tópicos mais importantes do chatbot são: Saúde: informação sobre vacinação, acesso à saúde e Covid-19. Inclusão e direitos: serviços sociais, tarifas sociais e bolsas de estudo. Justiça: Centros de Acesso à Justiça (CAJ) e assessoria jurídica. Transparência: acesso à informação pública, dados abertos e cadastro em banco de dados. Gênero e diversidade: atendimento a vítimas de violência de gênero e acesso a programas de inclusão. Trâmites: acesso aos plantões do Sistema Nacional de Turnos, tramitação de documentação oficial, credenciamento digital, aposentadorias e pensões.

O aplicativo Minha Argentina é a identidade digital da população para gerenciar procedimentos. Atualmente, é utilizado por mais de 18.282.000 pessoas. Lá elas podem acessar 25 credenciais digitais, incluindo comprovante de CUIL, DNI digital, CUD digital, carteira de motorista, cédula verde e/ou azul e seguro de automóvel. Tudo a partir de seus dispositivos, seja através de um telefone, computador e/ou tablet. Além disso, é uma identidade digital familiar, pois permite a associação de filhos, filhas ou menores dependentes, havendo mais de 125 mil menores de idade associados aos perfis de seus pais ou mães.

Ao mesmo tempo, o site Argentina.gob.ar é o portal único do Estado nacional. A partir dele, toda a Administração Pública Nacional é assistida e as informações oficiais para o público são unificadas. O portal até o momento acumula 422 milhões de visitas.

Para que estas iniciativas se desenvolvam de forma eficiente no mercado, os cidadãos devem poder ter acesso aos serviços de banda larga móvel. Nesse sentido, devem ser utilizadas tecnologias como a LTE e a 5G, que possibilitam altas velocidades de acesso. Para potencializar sua adoção, é importante que as autoridades do país disponibilizem maiores porções do espectro radioelétrico à indústria, bem como a geração de uma agenda de futuras licitações que permita às operadoras planejar a implantação das suas redes.