Antígua e Barbuda incentiva estudantes do ensino médio a praticarem e-sport

O desenvolvimento de uma economia digital tem entre seus fundamentos o trabalho árduo na preparação da sociedade. Além da educação, existem outras ferramentas que permitem avançar na incorporação das tecnologias de informação e comunicação (TIC), entre as quais se incluem os videogames.

Nesse sentido, a Antigua busca incentivar os alunos entre 13 e 17 anos a participarem de diferentes programas de e-sports. O projeto em sua fase piloto é desenvolvido pela The American Corner Antigua, localizada na Biblioteca Pública de Antígua e Barbuda, juntamente com a Embaixada dos Estados Unidos em Barbados, entre outros participantes.

O programa busca ajudar os participantes a explorar o uso de novas tecnologias, bem como promover valores de liderança, negócios, cooperação, confiança e tomada de decisão compartilhada. Utilizando uma atividade lúdica e, ao mesmo tempo, competitiva para promover a aproximação com o mundo digital.

O grupo Silicon Dadli é um dos pioneiros no Caribe Oriental a contar com orientação para assuntos STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, na sigla em inglês). O seu objetivo é aumentar o interesse dos jovens por estas disciplinas, bem como oferecer competências para poderem trabalhar nestas áreas, aproveitando as oportunidades destas carreiras em todo o mundo.

Desta forma, busca-se que os jovens daquele país possam usufruir dos já citados benefícios dos e-sports. Assim, os jovens poderão não apenas aprender, mas também ter acesso a bolsas de estudos para diferentes carreiras com base em seu desempenho nesta modalidade esportiva.

Outro programa implantado para ensinar TIC aos alunos é o Team Dadlibots. Lá, são oferecidos cursos de robótica e competições com outros países, podendo gerar diferentes projetos relacionados a esse tema.

Há também uma iniciativa relacionada à segurança cibernética. Com o nome de AntiguaRecon, o programa de treinamento em segurança cibernética é oferecido na escola para ajudar os alunos a obterem seu Certificado de Pentesting Júnior da Hack the Box (HTB), uma enorme plataforma online para aprender habilidades hacker éticas utilizando módulos de capacitação por meio da gamificação.

O desenvolvimento destas iniciativas deve também contar com o apoio do Estado para garantir acesso à banda larga, garantindo que os alunos possam desenvolver seu aprendizado fora das instituições de ensino e assim continuar a aprimorar suas habilidades. É preciso colocar em prática políticas que ampliem, principalmente, os serviços de banda larga móvel que, por suas características, permitem a cobertura de grandes parcelas da população.

Dentro dessa estrutura, é importante que porções maiores do espectro de rádio sejam disponibilizadas para o setor de telecomunicações. Com o objetivo de estimular o desenvolvimento da LTE e 5G, de forma a aumentar as oportunidades de acesso para a população. Também é necessário a criação de uma agenda dos próximos leilões de espectro, o que permite às operadoras planejar com mais eficiência a implantação de redes.

Nesse sentido, é importante que as autoridades implementem políticas que facilitem a implantação de novas redes de telecomunicações. A geração de uma normativa que reúna as diferentes demandas das diferentes esferas do Estado é importante nesse sentido. Também é necessário gerar o conceito de uma janela única que permita às operadoras um único interlocutor com as autoridades, para facilitar a implantação das redes.

Como se vê, o incentivo aos jovens para a prática de e-sports é uma medida que ajuda a melhorar o acesso às novas tecnologias. No entanto, devem ser acompanhadas de outras políticas que busquem ampliar o acesso à banda larga no mercado.