Alocação de espectro radioelétrico sub-1 GHz na América Latina

Os serviços móveis da América Latina evoluíram muito nos últimos dez anos. Porém, a viabilidade do ecossistema digital e as novas indústrias que acaba criando depende de uma característica tão invisível quanto é essencial: o espectro de rádio. Acesso a uma quantidade apropriada de espectro é fundamental para o desenvolvimento econômico de cada país e para atender às necessidades de uma sociedade no processo de digitalização.

As faixas de 600 MHz e 700 MHz são consideradas pelas administrações nacionais como recursos radioelétricos adequados para o desenvolvimento da 5G, no entanto, não são as únicas faixas do espectro sub-1 GHz que podem contribuir para a expansão dos serviços sem fio. A atribuição das faixas de 800 MHz e 900 MHz levou a introdução de serviços de telecomunicações móveis e serviços troncalizados na América Latina e Caribe por quase três décadas. Este documento analisa os diferentes cenários atuais em que países selecionados da América Latina e do Caribe utilizam as bandas de espectro “baixo” (abaixo de 1 GHz). [DOWNLOAD]