Alocação de espectro radioelétrico na América Latina em 600 MHz, 700 MHz, 2300 MHz, 2500 MHz e 3500 MHz

Os serviços móveis da América Latina evoluíram muito nos últimos dez anos. Smartphones e redes que exploram todo seu potencial tornaram-se ferramentas fundamentais, permitindo comunicações humanas inovadoras, facilitando a produtividade e oferecendo novas formas de entretenimento. Durante a última década, o setor privado investiu muito na implantação de redes e novas tecnologias. Porém, a viabilidade do ecossistema digital e as novas indústrias que acaba criando depende de uma característica tão invisível quanto é essencial: o espectro de rádio. Acesso a uma quantidade suficiente de espectro, no momento adequado e com condições e preços razoáveis, é fundamental para o desenvolvimento econômico de cada país e para atender às necessidades de uma sociedade no processo de digitalização. (Baixar aqui).