Acabar com a exclusão digital no México é essencial para o país de amanhã

O fechamento das diferentes lacunas que atravessam os países da América Latina e do Caribe é uma das preocupações constantes das autoridades. Nesse contexto, os diversos mercados da região trabalham no aumento da digitalização nos setores de suas economias e na sociedade com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de seus habitantes.

Durante o webinar “Telecomunicações no México agindo hoje pelo país de amanhã”, a palestrante Lorely Ochoa, Coordenadora de análise quantitativa e desenvolvimento de pesquisas acadêmicas do centro de estudos do Instituto Federal de Telecomunicações (IFT), compartilhou sua experiência sobre os avanços que o México teve no ambiente tecnológico.

Durante sua apresentação, Ochoa informou que do começo de 2013 a junho de 2023, o número de acessos de Banda Larga Móvel no país aumentou de 23 linhas por 100 habitantes para 93 linhas por 100 habitantes, e a Internet fixa de 40 linhas por cada 100 domicílios para 70 linhas por cada 100 domicílios, contribuindo com o crescimento da conectividade.

Ela também afirmou que o IFT obteve inúmeros sucessos em uma década, apesar do ambiente complicado em que o país se encontra. O regulador continua operando como um órgão de decisão incompleto, gerando obstáculos e afetando a pluralidade das perspectivas do governo para tomada de decisões.

No entanto, ela ratificou que houve um aumento na penetração de serviços no centro do país, mas ainda existem grandes lacunas no interior, tanto em termos de cobertura de redes quanto na capacidade dos lares de adquirir os serviços. Portanto, é necessário questionar se o caminho é apenas a regulamentação ou se é necessário analisar se existem outras condições estruturais que estejam afetando o desenvolvimento do setor.

Em outro momento de seu discurso, ela comentou que os custos do espectro no México são uma barreira para a competição, pois inibem a permanência das operadoras atuais e a chegada de novos concorrentes, tornando o segmento móvel altamente concentrado. Portanto, ela assegurou que o México ainda tem grandes lacunas digitais e precisa da participação do Estado para alcançar a população que ainda não pode pagar pelos serviços, garantindo que não haja distorção no processo e no mercado.

Nesse sentido, as burocracias causam atrasos na expansão da infraestrutura necessária para fornecer esses serviços, aumentando os custos de implantação, gerando atrasos na chegada de serviços e novas tecnologias aos usuários e até mesmo ocasionando sanções econômicas por não cumprimento de obrigações e metas de cobertura impostas aos provedores de serviços.

As iniciativas lideradas pelas autoridades do IFT são de grande importância para melhorar as condições dos cidadãos. No entanto, é importante que estejam acompanhadas por outras estratégias que possibilitem melhorar as condições de acesso à banda larga nas áreas rurais.