A tendência mundial da mobilidade nas TIC também permeia a educação

A implementação dos planos que combinam as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) e a educação conta com diferentes exemplos na América Latina. A possibilidade de conhecer a opinião de quem participa da implementação desses planos permite uma visão mais concreta deste tipo de iniciativa.

Martha Castellanos
Martha Castellanos

Para isto, o Brecha Zero entrevistou Martha Castellanos, que tem experiência liderando o desenho e execução de projetos destinados a fomentar o desenvolvimento socioeconômico na Colômbia por meio da utilização das TIC. Entre outras iniciáticas, participou da gerencia de Computadores para Educar, foi coordenadora do Virtual Educa Colômbia e atualmente se dedica a ser Gerente do Plano Nacional Decenal da Educação 2016-2026.

Economista da Universidade de Rosário, especialista em Avaliação Social de Projetos da Universidade dos Andes, especialista em Ambientes Virtuais de Aprendizagem do Instituto de Formação Docente de Virtual Educa, e Mestre em Gerência de Telecomunicações, Strathclyde (Escócia), Castellanos falou sobre a implementação das TIC na educação para o Brecha Zero:

Brecha Zero: Qual importância apresenta as TIC na educação?

Martha Castellanos: As Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) fortalecem e transformam a educação, já que os estudantes encontram nelas um caminho ameno até o conhecimento, dentro de seu próprio contexto e ambiente de aprendizagem, fomentando maior rendimento acadêmico, mais competência para sua vida e geração de renda.

Brecha Zero: Como influenciam as iniciativas TIC e Educação na existência de um plano nacional?

Martha Castellanos: Nós colombianos devemos fortalecer nossa identidade nacional e projetarmos os próximos 10 anos como um país que muda devido ao desenvolvimento econômico, social, ambiental e cultural, graças ao fortalecimento da educação. Em 2026 pretendemos que os colombianos contem com competências para desenvolver problemas de vida diária e que lhes permita o desenvolvimento em um mundo globalizado, que possam ser capazes de empreender e desenvolver ideias, que sejam inovadores, responsáveis pelo meio ambiente e que procurem aproveitar seu potencial, que possam resolver conflitos de uma maneira adequada sem recorrer a violência e que contem com instrumentos que lhe permita materializar estes sonhos, entre outros atributos. Uma das ferramentas que pode contribuir para o desenvolvimento desse ideal é de contar com o uso e apropriação das TIC nos processos de ensinamento, aprendizagem, inovação, pesquisa, entre outros, de tal maneira que ao tratar um ponto de referência a médio prazo, contribua para gerar esforços coletivos para uma Colômbia melhor, do ponto de vista da educação de outros setores, e a focar de maneira eficiente recursos TIC com um propósito claro, o de fortalecer a qualidade da educação.

Brecha Zero: Quanto contam as iniciativas de um computador por criança? Quanto importa a parte pedagógica? Quanto influencia a formação dos docentes?

Martha Castellanos: A incorporação das TIC na educação pode ter diversas abordagens tecnológicas, das quais perdem seu potencial se não consideram o seguinte:

  1. Um propósito claro de uso e apropriação das TIC na educação e;
  2. Não contarem com o envolvimento dos docentes.

O primeiro ponto, ressaltou o BID recentemente, em seu estudo “Como promover programas efetivos? ”, no qual afirma que aqueles programas de uso das TIC na educação que não contam com uma intenção clara de uso guiado, para aumentar o desempenho das áreas básicas, contam com impactos muito baixos no desempenho acadêmico. Ou seja, nestes caso, o uso das TIC não fomenta processos superiores aos de conhecimento além dos relacionados com alfabetização digital.

Este ponto introduz a importância do segundo, já que qualquer tipo de tecnologia e/ou enfoque que quiser introduzir na aula requer formar os docentes em seu uso para que eles mesmos possam fortalecer sua prática diária. De tal forma, se o docente é formado no uso e aproveitamento destas ferramentas, as utiliza de forma prática, formulando projetos educativos baseado nas necessidades de aprendizagem que encontra em seus estudantes, como meio para motivá-los a aprender e, assim, terá feito um uso guiado dessas ferramentas para aumentar o desempenho acadêmico do estudante.

Os docentes não podem seguir como os consumidores de cursos de formação, mas devem ser eles mesmos os que se identificam como as TIC podem resolver seus problemas em sala de aula, e de vez em quando, incentivar seus estudantes na aproximação ao conhecimento. Vale a pena ressaltar que a formação docente no uso dessas ferramentas deve ser um processo contínuo, que lhe permite enfrentar os desafios próprios da docência.

Para concluir, a fórmula certa para evitar improvisos em incorporá-los na educação, é concentrar-se na formação de professores na sua utilização pedagógica.

Brecha Zero: Em sua experiência no plano de Computadores para Educar: quais são os pontos positivos que destaca? Quais pontos crê que podem melhorar o programa? Quais escolhas enfrentou?

Martha Castellanos: Computadores para Educar tem sido um programa que envolve os docentes no uso das TIC, por meio de um acompanhamento na formação. Seus impactos tem sido amplamente documentados, pois a partir do fortalecimento da prática docente, tem contribuído para melhorar os resultados de aprendizagem dos estudantes.

Brecha Zero: Quais medidas considera que poderiam melhorar na implementação do plano?

Martha Castellanos: A Colômbia encontra-se em um momento único em sua história, o de terminar definitivamente com o conflito armado interno. Esta mudança necessária para o país e para o mundo traz consigo novos desafios para a educação de convivência, o respeito pelas diferenças e o perdão até uma economia, e o pós-conflito que gera igualdade de oportunidades para todos, equidade e inclusão, onde seus habitantes se sentem dignificados e decididos a construir e viver uma melhor sociedade.

Desta forma, o Plano Nacional Decenal de Educação 2016-2026 configura-se como um mecanismo único de consulta, na qual a educação converte-se em um compromisso de todos os colombianos e um dos principais temas da agência pública, já que parte da definição coletiva da educação que sonhamos ter em 2026, as temáticas que respondem a este sonho, os lineamentos estratégicos para alcança-los até a redação do PNDE 2016-2026.

É por isso que entre as medidas que poderiam melhorar a implementação do Plano estão que cada presidente regional aproprie seus esboços para orientar as prioridades de seus planos de desenvolvimento de acordo com suas necessidades e em contexto pertinente. Por outro lado, já que o plano busca contribuir para o desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental da Colômbia, é necessário o compromisso dos sindicatos, igrejas, meios de comunicação, entre outros, no seu desenvolvimento e implementação, como na qualidade da educação, toda a sociedade deve ajudar.

Brecha Zero: Qual importância observa na implementação das tecnologias móveis nas implementações TIC na educação?

Martha Castellanos: A tendência mundial é no uso das TIC. É ampla a expansão das tecnologias móveis, permitindo que as pessoas se mantenham-se sempre conectadas em qualquer lugar.

Esta tendência também tem permeado a educação, com o uso de tablets e telefones inteligentes dentro e fora da aula, onde o uso de conteúdos pertinentes e contextualizados tem tido um papel fundamental em sua propagação. No entanto, estas tecnologias em educação devem ser observadas de perto, com a esperança de que seus benefícios não infringem o trabalho colaborativo, inovação e resolução de problemas coletivamente.

Desta forma surge de novo a necessidade de envolver os docentes em sua implementação dentro do projeto acadêmico, aproveitando as vantagens destas tecnologias, já que permitem que a educação esteja ao alcance de todos. Através delas pode-se aproveitar os espaços e momentos que a aprendizagem ocorre, as tecnologias móveis tem um amplo potencial, no qual pode-se transformar as atividades de ócio em atividades geradoras de conhecimento mensuráveis em sala de aula, para isto, é fundamental que os pais cuidadores estejam atentos às crianças e jovens durante sua exposição às mesmas.

Mais informações: Martha Castellanos participou em 9 de agosto de 2017, do Webinar “As Tic como promotoras da aprendizagem e do ensino, um desafio rumo a 2026”, organizado pela 5G Americas. Acesse aqui (em espanhol).

0 comments on “A tendência mundial da mobilidade nas TIC também permeia a educação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.