A República Dominicana está trabalhando para se tornar um HUB tecnológico na América Latina e no Caribe

Existem diferentes iniciativas e planos governamentais que os Estados podem desenvolver ao buscar a redução da lacuna digital. Desde a promoção de planos de conectividade até a entrega de dispositivos ou formação escolar, são exemplos dos esforços que as diversas administrações realizam para melhorar o acesso nos países.

Com esse objetivo, os esforços da gestão do Instituto Dominicano de las Telecomunicaciones (INDOTEL) têm se concentrado em criar as condições que permitam melhorar os níveis de conectividade e o desenvolvimento de habilidades digitais que contribuam para o uso produtivo das TIC. Por isso, o ano de 2023 teve um fechamento com avanços significativos na redução da lacuna digital no país, por meio da implementação de diferentes projetos e políticas públicas que posicionaram a República Dominicana como um HUB tecnológico na América Latina e no Caribe.

A gestão atual concentrou seu foco em tornar a República Dominicana mais conectada, aumentando para mais de 1.000 pontos de acesso Wi-Fi gratuitos, localizados em sistemas de transporte público, escolas, centros hospitalares e áreas de alta densidade populacional. Também lançou no mercado o leilão do espectro radioelétrico, disponibilizando as faixas de 700 MHz, 2300 MHz e 3600 MHz para uso.

Foi desenvolvida e lançada a plataforma de Validação de Documentos e Assinaturas Digitais, “Validafirma”, com o propósito de contar com um sistema que facilite a verificação e validação da autenticidade, integridade e legalidade dos documentos assinados digitalmente no território nacional. Além disso, foi lançado e atualizado o novo aplicativo móvel, App Indotel, por meio do qual os usuários podem acessar os serviços da instituição, verificar a quantidade de serviços contratados, medir a velocidade da internet e executar e acompanhar reclamações ou denúncias.

Também foi iniciado o processo de distribuição das 450.000 caixas conversoras de sinais do projeto de Televisão Terrestre Digital (TTD), oferecendo conteúdo de televisão por antena sem serviço de assinatura por cabo, com imagens em alta definição e uma melhora na qualidade de som.

É importante destacar que foram assinados múltiplos acordos com o objetivo de continuar melhorando a vida dos cidadãos por meio do aumento dos níveis de conectividade e desenvolvimento de habilidades digitais. Com sua contribuição para a igualdade de todos os cidadãos, conseguiram capacitar as pessoas no uso de ferramentas digitais que permitem buscar empregos, continuar a educação, gerenciar necessidades de atendimento médico, realizar transações bancárias online, participar de comércio eletrônico, utilizar serviços governamentais e muito mais.

É importante que esse tipo de iniciativa perdure para fornecer acesso à população, mesmo em áreas afastadas dos centros urbanos, mantendo um trabalho constante dos operadores e das entidades governamentais. Além disso, facilita a implementação dos serviços de banda larga móvel, pois são os mais adequados, permitindo alcançar grandes coberturas de forma rápida e eficiente, com altas velocidades de acesso e conectividade robusta.

As tecnologias como LTE e 5G conseguem permitir o acesso de grandes porções da população de forma mais simples e eficiente. Para incentivar os operadores a desenvolver essas tecnologias, é necessário que as autoridades disponibilizem uma maior quantidade de espectro radioelétrico de forma equitativa para todos os players do mercado. Também é necessário criar uma agenda com futuros leilões de espectro que gere planejamento no mercado.

Outra iniciativa que deve ser implementada está relacionada à flexibilização das demandas dos diferentes municípios para a instalação de redes de telecomunicações, especialmente de antenas. É importante que exista uma regulamentação que centralize essas demandas e permita que os operadores conheçam antecipadamente os obstáculos que enfrentarão nesse sentido, para terem uma maior previsibilidade ao implantar uma nova rede.

Nesse mesmo sentido, é necessário reduzir as cargas tributárias sobre os componentes de rede, para que os operadores possam desenvolver suas redes de maneira mais eficaz. Uma redução nos impostos dos terminais de acesso torna-os mais acessíveis, resultando em uma maior parte da população conectada.