A pandemia como catalisador da transformação digitalno Panamá

As ações que levaram o Panamá a acelerar os processos de digitalização pública por meio da implementação de uma Agenda Digital Nacional, antes mesmo da pandemia, permitiram a este país centro-americano contar hoje entre suas principais conquistas com a expansão da conectividade com serviço WiFi que beneficia 400.000 usuários por mês em 1.320 pontos de acesso.

Este e outros marcos do processo de transformação digital liderado pelo governo panamenho foram compartilhados por Alkin Saucedo, Diretor de Telecomunicações da Autoridade para a Inovação Governamental, AIG, do Panamá, durante a conferência: “A Pandemia como catalisador da Transformação Digital no Panamá “; que aconteceu em uma nova sessão de Diálogos TIC, organizada pela 5G Americas e voltada para Analistas de Telecomunicações da região.

“O Panamá é um país pequeno, com aproximadamente 4,3 milhões de habitantes em uma área de 75.420 km2, divididos em 10 províncias com 679 corregimentos, dos quais 29% corresponde à população rural”, declarou Saucedo no início de sua apresentação, em que também destacou que, apesar de sua extensão geográfica, o Panamá conta atualmente com 33.000 km de fibra ótica.

Segundo Saucedo, a Agenda 2020 buscou implementar a transformação digital do Estado panamenho e, por sua vez, se tornar um “cidadão digital” por meio de diretrizes verticais gerais como a redução da brecha de desigualdade, o aumento da competitividade do país, a introdução de capacidades de resiliência e a modernização de entidades públicas.

Rumo à construção de um ‘cidadão digital’

“Quando a pandemia foi decretada globalmente, nenhum Estado estava totalmente preparado para enfrentá-la e atender a população de forma efetiva e oportuna. Este também foi o caso do governo do Panamá, no entanto, desde 2019, a AIG havia avançado na conceituação da Agenda 2020, uma vez que era uma prioridade para a diretoria da Autoridade, e a nova situação levou a modificar sua estrutura internamente, criando três departamentos para enfrentar este enorme desafio da transformação digital: 1. Departamento de Cibersegurança; 2. Departamento de Transformação Digital; 3. Direcção de Telecomunicações”, especificou Saucedo na sua conferência.

Ele também informou que, apesar das dificuldades para enfrentar uma situação de tal dimensão como a pandemia, existem particularidades que permitiram à AIG encontrar soluções adequadas para avançar na construção de ferramentas digitais para apoiar os panamenhos, que devido à situação de isolamento precisaram de plataformas tecnológicas para tentar continuar com suas atividades diárias, tanto acadêmicas quanto de trabalho.

“Um dos fatores que permitiu à AIG conseguir conectividade para muito mais cidadãos neste período de restrição à mobilidade dos indivíduos, foi a atribuição de recursos econômicos ao setor das telecomunicações, devido à declaração do Estado de Emergência. Dessa forma, uma situação adversa tornou-se uma oportunidade de crescimento e melhoria permanente dos processos digitais no país”, argumentou Saucedo.

Para o especialista da AIG, uma das maiores deficiências ocorridas no Panamá durante a pandemia do Covid-19 foi a baixa densidade de conteúdo hospedado localmente, principalmente conteúdo de caráter governamental, e destacou que é importante tentar aumentar essa capacidade, porque os custos de conexão são elevados e os períodos de latência devido a mudanças na tecnologia representam um obstáculo para acessá-los.

Graças à estratégia proposta na “Agenda 2020”, destacou Saucedo, muitos dos desafios na evolução tecnológica foram enfrentados de maneira mais célere e foi possível mitigar os danos causados ​​pela pandemia. Entre as plataformas que se destacam e que foram criadas neste período, estão www.panamadigital.gob.pa que, além de atender aos procedimentos decorrentes da atenção à saúde pelo vírus, como processos de vacinação e acompanhamentos, serviu para garantir a atenção de outros procedimentos relacionados a diferentes aspectos estatais.

Outra plataforma digital desenvolvida neste período é www.panamasolidario.gob.pa em que se promoveu a solidariedade dos panamenhos para chegar à população em estado de vulnerabilidade com ajuda, e através da qual, em associação com operadoras de telecomunicações locais, a AIG ofereceu planos de dados para baixar conteúdos a estudantes que não tiveram a possibilidade de conectar-se para dar continuidade às suas atividades acadêmicas, isso por meio do uso do celular no programa educacional denominado ESTER.

Digitalização para um desenvolvimento integral

Da mesma forma, o engenheiro Saucedo afirmou que “a transformação digital deve chegar a todos os cidadãos, estamos comprometidos com essa inclusão, é responsabilidade do governo promover a eficiência na conectividade. É um erro grave pensar que a transformação digital no Estado é gerada de maneira setorial e independente, é preciso trabalhar com atores parceiros e é isso que temos feito no Panamá”.

Entre os diferentes aspectos que permitirão à AIG alcançar a transformação digital por meio da integração de tecnologias digitais, a mudança na forma de operar para aumentar a eficiência e, por sua vez, gerar valor para organizações governamentais e clientes/usuários/cidadãos, são os mais relevantes. Esses foram reunidos em dois grandes grupos: 1. Componentes de Governança e 2. Componentes Técnicos.

O Diretor de Telecomunicações da AIG mencionou também que através da iniciativa “100% Cobertura Digital” estão trabalhando para fechar a brecha digital com projetos de telecomunicações implementados em comunidades sem acesso às TIC.

Por fim, destacou ainda que, “juntamente com a Autoridade de Serviços Públicos, ASEP, promovem a 5G porque têm consciência de que esta tecnologia gera um ecossistema TIC que as entidades públicas podem aproveitar para modernizar a gestão pública através de uma transformação digital pública efetiva”.