A Nicarágua aposta na educação para diminuir a exclusão digital

A incorporação das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) é um elemento potencializador da educação, já que qualquer uma de suas versões (planos nacionais, aplicações privadas, entregas de terminais de acesso) melhora a capacidade do setor. Também se transforma em uma ferramenta de poder significativo no momento de reduzir a exclusão digital, aumentando as oportunidades de inclusão para as crianças.

Na Nicarágua, o projeto Profuturo, do qual participam Alianza, Fundação Telefônica e o Ministério da Educação, buscam dotar de acesso à internet 161 centros educativos, para que cada um deles possa conectar até 80 dispositivos. Dessa forma, se beneficiam cerca de 78.773 estudantes, que contarão com acesso à internet de redes em seus estabelecimentos.

O projeto contará ainda com uma etapa que busca capacitar cerca de 400 docentes, medida que procura dinamizar as aulas e melhorar a aprendizagem dos estudantes no uso das TIC. Assim, a possibilidade de formar os educadores é uma estratégia adequada e necessária para melhorar as possibilidades de sucesso de iniciativas como esta.

O plano contempla também a entrega de dispositivos de acesso aos alunos e de conteúdo específico. Este ultimo ponto é de grande importância para o aprendizado e boa utilização da tecnologia. A possibilidade de contar com conteúdos dedicados especialmente à educação melhoram as oportunidades de que o projeto Profuturo tenha sucesso.

Além disso, no que diz respeito aos dispositivos, o projeto planeja a entrega de 268 malas digitais. Estas serão compostas por um laptop, uma tablet, projetos e acessórios necessários para seu funcionamento. A entrega de dispositivos é de suma importância para que os alunos possam experimentar de maneira eficiente o acesso às TIC.

Entre outros conteúdos educativos para esta iniciativa, destacam-se os de matemática, línguas, engenharia, ciência, tecnologia, valores e habilidades. As escolas beneficiadas estão localizadas nas províncias de Boaco, Carazo, Chinandega, Chontales, Estelí, León, Manágua, Madriz, Masaya, Matagalpa, Nova Segovia, Rio San Juan e Rivas, bem como a Região Autônoma do Norte do Caribe (RACN) e a Região Autônoma das Caraíbas do Sul (RACS).

Como pode-se observar, o Profuturo envolve os principais pontos que devem ser construídos por qualquer plano de conectividade educativo: 1- entrega de dispositivos necessários para os alunos se familiarizarem com a tecnologia; 2- conectividade, fundamental para que possam acessar conhecimento online; 3- conteúdo, necessário para focalizar o uso da tecnologia; 4- formação docente, para fortalecer a fase educativa; 5- suporte técnico, para reduzir qualquer inconveniente.

No entanto, para que a iniciativa tenha maiores progressos é importante que esteja acompanhada de autoridades com planos que busquem aumentar a conectividade no resto do mercado. Em outras palavras, as estratégias que tem por objetivo diminuir a exclusão digital que se destacam no setor educativo devem ser acompanhadas pela busca de conectividade a nível geral do país, potencializando o acesso à banda larga por fora do âmbito escolar.

Neste sentido, é necessário que se fortaleçam as alternativas de conectividade em todo o mercado. Em particular aquelas relacionadas com a banda larga sem fio, que por meio de tecnologias robustas e com altas velocidades de acesso como a LTE permitem alcançar grandes extensões de cobertura com menores necessidades de investimento e de maneira mais rápida. Por isso, é importante que realizem politicas que incentivem o setor das telecomunicações e invistam neste tipo de tecnologias.

Para alcançar estes objetivos é necessário que as autoridades desenvolvam determinadas políticas, a principal é a disponibilidade de espectro radioelétrico para desenvolver tecnologias de banda larga móvel. É importante reforçar que, em fevereiro de 2018, as autoridades locais entregaram 420 MHz de espectro para a indústria móvel, apenas 32% das metas estabelecidas pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) para 2025.

Além da entrega de espectro radioelétrico é necessário que as autoridades gerem uma agenda de licitações futuras. Esta medida é importante porquê permite à indústria planejar seus próximos desenvolvimentos, melhorando assim as condições das diferentes operadoras no momento de desenvolver novas tecnologias.

Da mesma forma, é necessário que se flexibilizem as normas para a construção de redes de telecomunicações. Medida que é necessária para que estas redes se desenvolvam de maneira rápida e alcancem assim grandes coberturas. Para isto, é importante que exista coerência nos pedidos burocráticos das diferentes administrações para poder instalar antenas de telecomunicações.

Outra estratégia necessária é a redução de impostos que pesa sobre os componentes de rede e dispositivos de acesso. No primeiro caso é necessário para reduzir o custo de desenvolvimento das redes, enquanto que no segundo reduz o preço final dos terminais tornando mais acessível para a população e aumentando assim a penetração do serviço.

Como pode-se observar, a estratégia Profuturo busca reduzir a exclusão digital por meio do acesso à educação, o que é muito bom para a Nicarágua. Ainda é necessário que as autoridades acompanhem estas medidas que provem do setor da educação com políticas que busquem aumentar a conectividade no resto do mercado.

0 comments on “A Nicarágua aposta na educação para diminuir a exclusão digital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.