A adoção das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) por parte dos idosos é um dos diferentes desafios que assumem os países da América Latina. A possibilidade de incluir esta faixa etária é de suma importância no momento da busca para reduzir a exclusão digital de qualquer país.

No caso da Costa Rica, a Universidad Estatal a Distancia (UNED) desenvolveu um curso para capacitar os idosos no uso de computadores pessoais. Trata-se de um dos cursos oferecidos pelo ensino superior dentro de seus diferentes programas de gerontologia e levanta a possibilidade de ensinar esta faixa etária a usar o conhecimento básico de computadores.

A UNED é uma instituição de educação superior à distância. Além de oferecer a possibilidade de estudar carreiras universitárias certificadas pelo Sistema Nacional de Acreditación de la Educación Superior (SINAES), conta com diferentes cursos livres em áreas como educação, comunicação e tecnologia, idiomas, desenvolvimento gerencial, entre outros.

O programa de gerontologia da UNED surge como resposta às mudanças demográficas e das necessidades emergentes da população costarriquense. É importante considerar que a Costa Rica teve uma importante mudança demográfica devido a uma diminuição dos nascimentos e aumento da expectativa de vida da população adulta, uma situação lógica foi o resultado do avanço da ciência e da medicina. De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas e Censos da Costa Rica, em julho de 2016, tinham mais de 681.201 pessoas maiores de 60 anos.

Neste sentido, o programa de gerontologia busca melhorar a qualidade de vida deste segmento da sociedade por intermédio do desenvolvimento de atividades de diferentes áreas: educação e capacitação, pesquisa, cooperação e ação social e o desenvolvimento de projetos de interesse público. Desta forma, o programa possui o objetivo de alcançar um envelhecimento saudável e satisfatório, por meio da educação e capacitação formal e informal.

Assim, por meio deste programa busca-se gerar consciência no cuidado da saúde e na aquisição de estilo de vida saudável. Ele também incentiva a usar de forma criativa o tempo de lazer, desenvolver seu potencial e manter a ginástica do conhecimento durante esta etapa de sua vida.

Para alcançar esses objetivos, a UNED apela para práticas docentes, pesquisas por meio da extensão e de ação social. Dessa forma, busca-se, utilizando de recursos educativos e de formação se guiar os idosos para melhorar a qualidade de vida, mantendo assim atividades produtivas e hora recreativas.

Entre essas atividades destaca-se o Curso de Computação, que permite aos idosos obter e transmitir informação utilizando um computador pessoal. Além disso, podem acessar conteúdos educativos, culturais, de entretenimento, saúde e outros temas de interesse. O curso também lhes oferece a oportunidade de aprender a usar a internet.

Em termos de conteúdo, o curso é formado por sete programas: Microsoft Windows, Microsoft Word, Microsoft Power Point, Microsoft Excel, Microsoft Publisher, Edição e Criação de Imagens com base em GIMP e Internet. Cada um deles conta com diferentes níveis para aprofundar o conhecimento. Cada curso é ensinado pessoalmente, uma vez por semana, em três períodos de aula anuais e são oferecidos em diferentes áreas da UNED. O único requisito para os estudantes é ter mais de 50 anos e ser alfabetizado.

A oportunidade de manejar estas ferramentas de forma adequada possibilita aos idosos uma melhor integração com o mundo. Abrindo suas opções no uso de diferentes ferramentas, entre elas as redes socais, mas oferecendo a opção de aumentar suas possibilidades de educação, recursos culturais, informação e entretenimento.

No entanto, para que os idosos que participam deste tipo de curso possam se manter ativos e comunicados é necessário que se desenvolvam políticas públicas que garantam a conectividade no mercado. Ou ainda, este tipo de iniciativas deve estar acompanhado por estratégias governamentais que estimulem o setor privado no desenvolvimento de redes de conectividade. Em particular de banda larga móvel e sem fio, já que por suas características são mais aptas para alcançar grandes coberturas de maneira rápida.

Neste sentido, a disponibilidade de espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel cobra singular importância para estimular a conectividade. Da mesma maneira que a redução de travas burocráticas para o desenvolvimento de redes de telecomunicações, ou seja, reduzir ao mínimo a quantidade de papelada necessárias para instalar a infraestrutura. Outra das medidas que permite aumentar a conectividade no mercado é a diminuição dos impostos dos dispositivos de acesso, para notebooks ou smartphones.

As opções que buscam educar os idosos no uso das TIC mostram seus benefícios e melhora a abordagem, tal qual as realizadas pela UNED são de muita utilidade para reduzir a exclusão digital. No entanto, é fundamental que sejam acompanhadas por políticas que garantam a conectividade no mercado, para que uma vez finalizado os cursos, este segmento da sociedade possa manter-se em contato e exercício diário com as TIC.