A Costa Rica implanta plataforma para produtos pesqueiros e de aquicultura

Existem diferentes maneiras de incorporar as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) aos processos produtivos que fazem parte da economia de um país. De Finanças, através das diversas indústrias, pecuária e pesca de fazer uso de novas tecnologias para aumentar a produtividade, usando dentro da própria atividade ou através da comercialização dos produtos.

Nesse sentido, o “Instituto Costarricense de Pesca y Acuicultura” (Incopesca) com a colaboração do “Programa Integral de Mercadeo Agropecuario” (PIMA) permite que os envolvidos nesta atividade tenham acesso ao preço dos produtos de aquicultura e pesca através de uma plataforma digital. Para isso, basta acessar o site www.pima.go.cr/incopesca.

Por meio deste Sistema, os produtores deste setor podem acessar um boletim de preços onde estão registrados os principais produtos vendidos em postos de recebimento de La Cruz, Cuajiniquil, Nicoya, Puntarenas, Quepos Golfito e Limon. O portal também lhes dá a oportunidade de conhecer os preços dos produtos do “Centro Nacional de Abastecimiento y Distribución de Alimentos” (CENADA), até dos mercados municipais e supermercados da “Gran Área Metropolitana” (GAM).

O objetivo é que a informação seja consolidada de forma significativa, de modo que se torne um insumo muito importante para todos os usuários. Busca também fortalecer as associações, cooperativas e organizações de pescadores, possibilitando o acesso a informações em primeira mão, potencializando suas oportunidades dentro da atividade.

Desta forma, cada produtor do setor terá, por meio do acesso via web, o Sistema de Informações de Mercado de Produtos da Pesca e Aquicultura (SIMPA). Esta informação irá verificar preços e até mesmo fazer pesquisas inteligentes segmentadas por interesse ou necessidade, como por tipo de produto ou posição de comercialização deste produto, além dos dados poderem ser baixados em formato PDF.

O projeto também busca contribuir para a transparência do mercado, oferecendo a cada produtor informações atualizadas e úteis para a comercialização do setor. O sistema tem dupla função, pois permite o compartilhamento e a experiência, permitindo que o portfólio da Agricultura tenha maior conhecimento sobre a formação de preços. Em outras palavras, entre suas funções oferecerá às autoridades mais conhecimento sobre o setor.

A evolução lógica do sistema permitirá a criação de aplicativos móveis mais específicos, que possibilitam aos produtores segmentar informações de maneira mais eficiente e na ponta dos dedos. Em outras palavras, espera-se que as informações possam ser geradas em um aplicativo móvel, aumentando assim o número de produtores que as acessam.

Em qualquer caso, no formato atual ou em sua evolução, a plataforma depende da conectividade dos produtores para ter um melhor desempenho. Ou seja, quanto mais usuários puderem acessá-lo, melhores serão os resultados para os quais ele foi criado. Por isso, é importante que as autoridades possam implantar políticas que aumentem a conectividade de banda larga junto à população.

Em particular, a banda larga sem fio torna-se importante em tecnologias como a LTE, que devido às suas características permitem alcançar uma grande cobertura. É importante considerar que essas tecnologias possibilitem acesso de uma maior quantidade da população à dispositivos como smartphones, que têm a capacidade de executar operações mais complexas mais próximas a de um computador, permitindo que ele seja usado para tais iniciativas.

Nesse sentido, aumentar a disponibilidade de espectro radioelétrico para o setor de telecomunicações sem fio é uma política que deve ser executada pelas autoridades. Bem como o desenvolvimento de uma agenda que contém futuras notícias sobre quais medidas as autoridades pretendem realizar sobre espectro, dando previsibilidade à indústria e melhorando a tomada de decisões.

Da mesma forma, é necessário que as autoridades flexibilizem as exigências burocráticas que existem para a implantação de redes de telecomunicações. A possibilidade de ter uma lei unificada que gera demandas semelhantes permite que as operadoras tenham melhores condições iniciais ao planejar o desenvolvimento de uma nova tecnologia.

Por outro lado, é importante reduzir os impostos presentes nos componentes de rede e nos dispositivos de acesso. No primeiro caso, é importante que o desenvolvimento de novas tecnologias seja mais eficiente, permitindo maior rapidez na implantação de coberturas. Enquanto no caso de dispositivos de acesso os tornam mais acessíveis, permitindo aumentar o número de usuários utilizando o serviço.

Conforme observado, a iniciativa da “Incopesca” é apresentada como uma oportunidade para os produtores do setor acessarem informações de forma rápida e eficiente. No entanto, é necessário que eles sejam acompanhados por outras políticas que busquem aumentar a conectividade na população, conseguindo assim melhores resultados.

0 comments on “A Costa Rica implanta plataforma para produtos pesqueiros e de aquicultura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.