A Bolívia busca gerar ações positivas para crianças e adolescentes usando as TIC

Entre os objetivos apresentados pelos governos da América Latina e do Caribe está o trabalho para gerar um ambiente que potencialize a digitalização do mercado. Poder agregar de forma mais eficiente as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) aos diversos setores da economia e da sociedade é uma estratégia fundamental para ingressar na nova economia global.

Para atingir esse objetivo, é importante que as autoridades dos países trabalhem para aumentar a adoção digital das novas gerações, potencializando as capacidades dos países para o futuro. Nesse sentido, a Agência de Governo Eletrônico e Tecnologias da Informação e Comunicação (AGETIC) da Bolívia e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) assinaram um Memorando de Entendimento Interinstitucional, que prevê o trabalho conjunto em diferentes áreas de atuação, entre elas a inclusão digital de crianças e adolescentes em estado de vulnerabilidade.

O acordo também visa promover a Segurança Digital para crianças e adolescentes; além do incentivo da participação de meninas e mulheres adolescentes em estudos e carreiras STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática, da sigla em inglês). Bem como a promoção de espaços e plataformas de participação em TIC, inovação, geração de conhecimento, provas e dados em relação às TIC.

Com o convênio, as entidades buscam promover os direitos e a acessibilidade às TIC e a inovação tecnológica para crianças e adolescentes. Com esse objetivo espera-se que a partir deste convênio sejam geradas diferentes atividades, a começar por um webinar (conteúdos em vídeo para a formação), agendado para 24 de abril, em comemoração ao Dia Internacional das Meninas nas TIC, divulgado nas redes sociais UNICEF e AGETIC, com possibilidade de acesso gratuito.

Outro objetivo no qual a agência boliviana está diretamente envolvida é gerar políticas, ferramentas e ações relacionadas à segurança da informação para proteger os dados e informações das instituições do Estado e da população. Também busca desenvolver políticas, programas, projetos e ações relacionados às TIC para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

É uma iniciativa positiva que visa avançar na adoção de tecnologias para as gerações futuras, aumentando as oportunidades da Bolívia em termos de digitalização de mercado. Neste sentido, são também importantes as políticas que as autoridades implementam no sentido de aumentar o acesso à banda larga no mercado.

É importante considerar a banda larga móvel, que devido às suas condições permite atingir grande parte da população além de oferecer cobertura de forma mais simples. Tecnologias como a LTE e, no futuro, a 5G, permitirão oferecer velocidades de conexão mais altas e acesso robusto. Implantar estratégias que estimulem sua adoção é uma tarefa a ser considerada pelas autoridades.

Para atingir esses objetivos, é importante que porções maiores do espectro de rádio sejam disponibilizadas para o setor de telecomunicações. Além da geração de uma agenda com futuras licitações de espectro que permita às operadoras planejar com eficiência a implantação de novas tecnologias.

Por outro lado, é preciso reduzir os entraves burocráticos que pesam sobre o setor de telecomunicações. Em particular aqueles sobre a implantação de redes. Nesse sentido, é importante a geração de uma norma única que permita aproximar as demandas das diferentes esferas do Estado, além da geração de políticas de trâmite único.

Como pode ser visto, os acordos internacionais para melhorar o acesso de jovens às TIC são importantes para o futuro da Bolívia. No entanto, devem ser complementados por políticas que estimulem o desenvolvimento das redes de telecomunicações móveis.