A Bolívia agrega ferramentas às TIC na educação em áreas rurais

Um dos grandes desafios da inclusão das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) nos diferentes setores da sociedade é chegar em áreas distantes ou rurais. Isto reflete especialmente na prestação de serviços de educação ou saúde que os estados se comprometem a oferecer, o que dificulta oferecer o mesmo tipo de oportunidade que tem, sobretudo, nos principais centros urbanos.

Para poder alcançar este objetivo, o vice-ministro de Ciência e Tecnologia e o Ministério de Educação da Bolívia entregaram computadores para 86 professores mochileiros do programa “Bachillerato Modular Multigrado”. A iniciativa deu-se no marco do projeto “Una Computadora Por Docente” e incluiu os departamentos de Pando, Beni, Santa Cruz e La Paz.

O objetivo do programa dos mestres mochileiros é universalizar a educação secundária, tornando-se responsáveis por implementar o Bacharelado Modular. Seu trabalho é desempenhado em comunidades de difícil acesso, onde não contam com escolas de nível secundário. Para poder realizar o trabalho contam com diferentes materiais dos quais destacam-se um computador portátil, para poder oferecer acesso às TIC no desenvolvimento de suas tarefas.

Os computadores utilizados pelos mestres são marca Quipus, modelo Kuarahy, processador Intel Core i5 de quinta geração, tela LED de 15 polegadas, memória de 4 gygabytes, disco rígido de 1 terabyte (1.000 gygabytes de memória interna) e leitor e gravador de DVD. Além disso, possui material digital para o desenvolvimento educativo que possui informação da biblioteca do Ministério de Educação, Lei e documentos realizados pelo PROFOCOM.

Desde que foi lançado, existem mais de 200 mestres no programa que dedicam seu tempo em áreas distantes dos centros urbanos e possuem um computador portátil. Esta se utiliza da modalidade do bacharelado modular multigrade que se desenvolve dentro de um calendário dos bimestres e orientados por campo de conhecimento. Assim, cada docente envolve ao menos três cursos do programa que estipula o ensino secundário.

Estas iniciativas são necessárias para melhorar as condições educativas no país, em particular quando busca sua universidade. A capacitação da população transforma-se em uma ferramenta fundamental para os países que buscam melhorar as condições dentro do mundo. Os novos mercados de trabalho precisam fundamentalmente da criação de conhecimento e preparo da população para novos desafios digitais. Neste cenário estas iniciativas confirmam um passo importante dentro da Bolívia.

Entre as formas de melhorar projetos deste tipo, a conectividade dos mestres ganha muita importância. Em primeiro lugar, porque possibilita a atualização rápida e eficiente dos materiais de trabalho, no entanto além disso funciona como preparação da população para novas economias de trabalho, mas ainda funciona como preparação da população para novas economias digitais. Ou seja, a conectividade acelera a inserção e educação digital de um grupo de pessoas que, por questões geográficas e sociais estão fora dela.

Por isso, é necessária a conectividade para as populações rurais e distantes dos grandes centros urbanos, circunstância em que a banda larga sem fio se apresenta como uma alternativa ótima.  Daí torna-se necessário que as autoridades gerem condições necessárias para potencializar este tipo de tecnologia no mercado, em particular a LTE que por suas características, permite alta velocidade e conexões robustas.

Neste sentido, as iniciativas que buscam facilitar o acesso às bandas de espectro radioelétricas para os serviços de banda larga móvel. A realização de licitações deste bem finito, assim como a geração de uma agenda que permita para a indústria conhecer quais serão as futuras faixas de espectro que serão fundamentais para que a indústria possa planejar de maneira eficiente os próximos desenvolvimentos de tecnologia.

Também é necessário que existam políticas que busquem a simplificação nos tramites burocráticos necessários para a construção de redes de telecomunicações. Em particular para as antenas de serviços móveis, situação que também permite às operadoras planejar de maneira mais organizada a construção de redes, aumentando seus tempos e reduzindo os esforços que poderiam ser necessários.

Por sua vez, é importante que se reduzam as cargas tributárias impostas que pesam sobre os componentes de redes e sobre os terminais de acesso. No primeiro dos casos, trata-se de uma medida necessária para que a indústria possa alcançar grandes coberturas em menor tempo, reduzindo os custos iniciais de investimento. Tanto que baratear os dispositivos é fundamental para torna-los mais acessíveis e permitir o aceso à tecnologia a uma maior quantidade de habitantes.

Tal como se observa, os esforços do governo da Bolívia por melhorar a qualidade educativa nas áreas rurais são necessários e bem orientados a preparar os recursos humanos do país para a nova era digital. No entanto, é também importante que se trabalhe em criar condições para melhorar a conectividade do mercado, aprimorando as possibilidades e entrada da população nas novas tecnologias.

0 comments on “A Bolívia agrega ferramentas às TIC na educação em áreas rurais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *