Imagem: 4G Americas.

A Banda Larga móvel é importante dentro do ecossistema digital

O novo secretário executivo da Comissão Interamericana de Telecomunicações (CITEL), Oscar León, foi entrevistado pelo Brecha Zero sobre os pontos chaves necessários para aplicar as tecnologias da informação e a comunicação (TIC) para o desenvolvimento humano. Assim como das distintas alternativas que o órgão oferece para ajudar os governos da região.

A CITEL é o órgão conselheiro especializado da Organização dos Estados Americanos (OEA). Sua missão é setorizar as telecomunicações e as TIC. Entre os objetivos destacam-se promover a integração de redes e serviços na América, o uso coordenado do espectro radioelétrico e das normas técnicas, entre outras tarefas relacionadas com as TIC.

Designado para o cargo em Julho de 2015, o Sr. León é engenheiro eletrônico especializado em Gerência de Projetos de Telecomunicações e Master em Administração de Negócios. Tem mais de 17 anos de experiência no setor TIC, e participou no direcionamento de projetos e implementação de novos negócios e apropriação de novas tecnologias. Além disso, tem uma ampla participação na área, representando os setores de governos e privados. Na Colômbia, foi assessor dos ministros de Comunicações, Diego Molano Vega, Ângela Montoya e Martha Pinto. Destacou-se no cargo de Diretor Geral da Agência Nacional de Espectro (ANE), quando o ocupou de novembro de 2010 até setembro de 2015.

Ademais, realizou várias conferências de nível internacional no desenvolvimento de serviços de banda larga sem fio, em campos eletromagnéticos relacionados com a saúde humana e leilões de espectro como elemento estratégico para o desenvolvimento dos países. Oscar León respondeu ao Brecha Zero sobre questões relativas à aplicação das TIC para o desenvolvimento:

Brecha Zero: Quais iniciativas considera necessárias para potencializar o uso das TIC para o desenvolvimento?

Oscar León: Para levar adiante uma iniciativa correta no que se refere às TIC para o desenvolvimento é necessário que se considere os seguintes pontos-chaves. O primeiro é que exista apoio político. É dizer que existe o convencimento desde o chefe máximo do país. Que o presidente tenha o conhecimento e o interesse de implementar as TIC para ajudar a reduzir as diferentes exclusões.

Quando existe interesse por parte do chefe do estado, pode-se ajudar o resto das carteiras a implementar as TIC para potencializar cada um dos setores, como pode ser com a agricultura, saúde etc.

Outro ponto-chave que temos que considerar é que, embora cada país tenha suas peculiaridades, concentram esforços em ampliar a conectividade com o intuito de promover a utilização das TIC. Quando na realidade, esse tipo de política isolada faz com que essas ferramentas percam a eficácia. Para que se possa ter uma política efetiva, é necessário criar um ecossistema que considere a infraestrutura, os serviços, os usuários e as aplicações. É dizer que trata-se de uma solução integral.

Brecha Zero: Considerando sua experiência como Diretor da Agência Nacional de Espectro (ANE) da Colômbia, quais as iniciativas desenvolvidas poderiam ser aplicadas em nível nacional?

Oscar León: A experiência da Colômbia está centrada no ecossistema digital descrito anteriormente. Obviamente, antes existia um convencimento político por parte do poder Executivo, o que favoreceu sua implementação. O ecossistema consta de quatro pontos de devem ser desenvolvidos de maneira integral.

No caso da infraestrutura, falando de forma macro deve-se considerar contar com a conectividade internacional para evitar que o mercado fique isolado. Também é necessário assegurar a conectividade interna, chegando a cada chefe de município, seja por fibra, microondas ou satélite. E, por último, as tecnologias de banda larga móvel, que se tornam importantes para alcançar cada um dos lugares.

As tecnologias de banda larga sem fio também estão relacionadas com o segundo ponto: os serviços. Trata-se do que oferecem as operadoras, que fazem uso da infraestrutura e permitem desenvolver a conectividade digital.

Enquanto isso, para os usuários, existem três barreiras importantes para superar para as políticas de TIC. A primeira está relacionada com o custo do terminal, que pode ser combatida através de políticas voltadas para a redução de carga fiscal. A segunda, custos do serviço, você pode trabalhar a partir de regulamentações que tendem a aumentar a concorrência. E finalmente, a educação do usuário, que visa fornecer ferramentas para explorar o uso do terminal. Dentro deste último ponto, também é importante para trabalhar em políticas para reduzir crimes cibernéticos e outros abusos relacionados com as novas tecnologias.

Por último, a geração de aplicações que possibilita aproveitar os benefícios das TIC. Por meio delas, se pode atender aos diferentes setores como educação, saúde e interação com o governo.

Brecha Zero: Aproveitando o ensejo, em termos gerais, como avançam os setores como Educação, Saúde e Financeiro no uso das TIC?

Oscar León: No caso do setor financeiro, existe um grande interesse de muitos bancos em assegurar o desenvolvimento. O objetivo é aumentar o ingresso ao sistema bancário de pessoas que no momento não podem ter acesso. Também trabalhou-se muito para evitar que existam fraudes que terminem prejudicando os usuários.

Em telessaúde, os avanços se observaram principalmente a partir da implementação de tecnologias de banda larga sem fio de alta velocidade. Neste sentido, se implantaram experiências que ajudam os médicos em lugares remotos a se consultar com especialistas em grandes centros urbanos por meio do envio de diferentes estudos digitalizados.

Uma situação similar é a da Tele educação, onde um docente experiente pode dar aulas interativas de maneira simultânea, aproveitando a tecnologia para poder chegar a mais de um local afastado. Desta forma, podem dar várias aulas em lugares remotos, com a possibilidade de interagir com os diferentes alunos.

Brecha Zero: Qual importância tem as tecnologias sem fio no desenvolvimento das TIC na região?

Oscar León: O uso da tecnologia de banda larga sem fio é importante no ecossistema digital. Em particular, de modo que possa trazer serviços para quem os utiliza. Neste sentido, as redes 3G e 4G são partes necessárias para facilitar a última milha de serviço.

É importante que os reguladores tenham uma política de espectro radioelétrico que possibilite implantar redes, incluindo planejamento e limpeza das bandas destinadas à leilão. Assim mesmo, além disso o dinheiro a pagar por este espectro, se deve considerar compromisso por qualidade e competitividade.

Outro ponto a se considerar pelos reguladores é oferecer condições para que as redes possam se desenvolver de maneira adequada. Além disso, de gerar um âmbito adequado no que tem apreço pelo uso de redes e roaming nacional, entre outros temas que garantam a competitividade.

Brecha Zero: Quais iniciativas planeja realizar a CITEL para impulsionar as TIC para o desenvolvimento nos próximos anos?

Oscar León: A principal iniciativa está relacionada com às administrações que prestam informação, apoio e assistência na implementação de várias iniciativas que promovem TICs para o desenvolvimento. Para isto, oferece a oportunidade de conhecer implementações bem-sucedidas na região, que podem ser replicadas em seus próprios mercados.

Conquanto, a CITEL fortalecerá a conscientização da importância de uma política de espectro radioelétrico para o desenvolvimento dos serviços móveis. Para isto, oferece informação e cursos educativos para os responsáveis de cada um dos mercados, para poder replicar as melhores práticas levadas adiante na região. Assim como também se desenvolvem mecanismos de colaboração entre os setores.

Por outro lado, há tempos que se desenvolvem diferentes políticas prezando pelo intercâmbio de informação no que diz respeito às regulações. Com o objetivo de replicar melhores práticas em normas relacionadas com qualidade de serviço, melhoras na competência, prevenção de roubo de celulares e uma adequada utilização dos serviços, entre outros temas de importância.

Brecha Zero: Qual mensagem a CITEL considera importante para passar ao setor?

Oscar León: Considero que é importante convidar os grêmios, empresas, administrações do setor a tirar proveito das diferentes oportunidades que a CITEL oferece. É uma organização que possui uma grande quantidade de informação, provenientes das administrações, iniciativas de capacitação, entre outras vantagens. Neste sentido, é uma grande oportunidade para os diferentes atores que formam este setor.

0 comments on “A Banda Larga móvel é importante dentro do ecossistema digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *