A 5G tem impacto positivo na produtividade

Entrevista com Félix Chang Calvache – Vice-ministro de Tecnologias da Informação e Comunicação do Equador. Parte II

A economia digital requer que as autoridades dos diferentes países da América Latina trabalhem para criar as condições necessárias para seu desenvolvimento. Entre essas tarefas, está a de estimular a instalação de redes de banda larga móvel, particularmente as de tecnologias mais avançadas como a 5G.

Entrevista com Félix Chang Calvache – Vice-ministro de Tecnologias da Informação e Comunicação do Equador.

Sobre a digitalização do mercado e o desenvolvimento da 5G, o Brecha Zero conversou com Félix Chang Calvache, Vice-ministro de Tecnologias da Informação e Comunicação do Equador. Com um Mestrado em Administração de Empresas, é especializado em Negócios Internacionais e Sistemas de Informação, além de contar com uma ampla experiência na gestão de projetos e assessoria tecnológica, financeira, mercantil, legislativa e regulatória dos setores públicos e privados.

Brecha Zero: Considerando a importância da digitalização da economia para o desenvolvimento dos países, como se avalia a situação do Equador nesse sentido?

Félix Chang Calvache: O Equador considera que a digitalização é o melhor caminho para melhorar o acesso a serviços e à infraestrutura. Portanto, o MINTEL, através da execução de políticas públicas para o desenvolvimento da economia digital, trabalha no fortalecimento de indicadores a respeito de uma melhora regulatória, do programa de comércio eletrônico, da Agenda de Transformação Digital 2022 – 2025 e de outras iniciativas que assegurem o avanço na direção da Sociedade da Informação e da economia digital, por meio da digitalização, para o desenvolvimento da população equatoriana.

Segundo o Networked Readiness Index (NRI)  – Governo Digital, o Equador teve um aumento de 5 pontos de 2020 para 2021, ou seja, está na posição 90 de 130 economias mundiais no ranking de empresas que possuem website e utilizam redes sociais, evidenciando um alto desempenho no emprego da legislação de comércio eletrônico.

Da mesma forma, segundo a E-government Survey, o Equador subiu 10 colocações em 2020 em relação à 2018. Atualmente, o país ocupa o posto 74 de 193 países, registrando um índice de 0,7015, que o coloca acima da média mundial (0,5988) e regional (0,6341).

Outra melhora aconteceu a partir da análise do Índice de Desenvolvimento do E-Governo (EGDI). Ele sinaliza que o Equador passou de 0.5625 para 0.7015, de 2016 a 2020, superando a média mundial (0.5988) e regional (0.6341). Considerando que o país tem tido grandes avanços quando comparado aos anos anteriores, fica evidente que isso se deve a um impacto associado à pandemia, que acelerou os processos de digitalização entre os setores. Apesar dos avanços, é importante continuar trabalhando para melhorar o nível de digitalização no Equador, através da adoção de tecnologias digitais, fortalecimento do empreendimento digital e o desenvolvimento de talento digital.

Brecha Zero: De que maneira os serviços móveis ajudam no processo de digitalização da economia?

Félix Chang Calvache: A transformação digital marca um antes e depois em relação ao crescimento e à sustentabilidade dos setores produtivos, traduzindo-se em competitividade e produtividade no país; consequentemente, a ampliação da cobertura da infraestrutura de telecomunicações e conectividade permitiu que se intensificasse o tráfego de internet no Equador. Em um mundo hiperconectado e em um cenário pós-pandemia, é ainda mais necessário manter esse acesso, já que se converteu em um elemento habitual para realizar atividades cotidianas como: teleducação, teletrabajo, telemedicina, e-commerce, entretenimento, empreendimentos, entre outros.

Brecha Zero: Que importância têm as tecnologias como a 5G no desenvolvimento de uma economia digital?

Félix Chang Calvache: A Internet proporciona benefícios e oportunidades ao setor produtivo e de consumo, por esta razão é essencial melhorar o acesso aos serviços de telecomunicações nas zonas rurais e avançar na redução do abismo digital.

Nesse contexto, o Plano Nacional de Desenvolvimento “Plano de Criação de Oportunidades 2021-2025”, liderado pelo Presidente Guillermo Lasso, propõe como um de seus objetivos de política garantir os direitos e serviços das famílias, erradicar a pobreza e promover a inclusão social, principalmente através da melhora da conectividade digital e do acesso a novas tecnologias pela população, para facilitar o acesso a outros serviços.

A 5G tem impactado positivamente a produtividade na América Latina, sendo um catalisador para a transformação digital, já que motiva a implementação de tecnologias emergentes (big data,“data driven”, IoT, Cloud, IA, etc.) em todos os processos produtivos, melhorando consideravelmente, através das TIC, a produtividade, eficiência e competitividade dos setores.

Entre os setores beneficiados, pelo advento da 5G, por exemplo, se destacam a agricultura de precisão, produção inteligente de processamento de alimentos, logística inteligente, serviços de telemedicina, entre outros.

Dessa forma, espera-se um aumento de 2.5% de produtividade na agricultura e nos alimentos processados – que representam 15% do PIB da LATAM-. As comunicações móveis 5G oferecem maior velocidade; maior capacidade de fluxos de informação e aplicativos de multimídia; jogos multiplayer online; videoconferências; assim como uma conectividade mais confiável, elemento vital para a economia digital, que precisa se nutrir de grandes quantidades de dados e ter a capacidade de processá-los de maneira ultra-rápida.

O efeito econômico-social resultante da implantação de redes 5G atinge principalmente 3 áreas:

  • Transformação digital: conectividade e digitalização das moradias e sistemas produtivos.
  • Crescimento do PIB: produto de investimentos e seus efeitos na economia.
  • Contribuição ao PIB de certos setores industriais: eficiência operacional e melhoria de produtividade.