5G se prepara para impulsionar saúde digital, “drones” e banda larga sem fio

A padronização da 5G envolve a definição de indicadores fundamentais para o rendimento de uma ampla variedade de casos.

São Paulo, 29 de abril de 2020 – No que diz respeito às gerações móveis anteriores, a 5G ampliará seu valor como infraestrutura de conectividade graças, a considerar, desde sua padronização, uma variedade de casos de uso com potencial disruptivo. O extrato do estudo “Inovação em serviços 5G: saúde, drones, banda larga e realidade estendida” expõe alguns dos desafios que as redes de próxima geração terão como plataforma destes serviços.

A atenção médica se apresenta como uma das oportunidades para o crescimento da Internet das Coisas (IoT) na América Latina até 2022, com a Colômbia, o Chile e o México como alguns dos potenciais focos de crescimento. A padronização da 5G já prevê necessidades do setor de saúde, como cobertura móvel confiável para veículos ou conectividade para tecnologias de assistência médica em instalações. É necessário que a tecnologia se complemente com a legislação e ações que promovam a segurança no manejo da informação clínica.

O acesso fixo sem fio à internet já existe em vários países latino-americanos, contudo a 5G pode dar um incentivo adicional, sobretudo como alternativa para tecnologias cabeadas em áreas de difícil acesso ou sem serviço. O relatório detalha que existem várias configurações para que o serviço chegue às casas e prédios, contudo é essencial a existência de espectro suficiente e redes de transporte. A banda de 3,5 GHz é uma das que pode apoiar o desenvolvimento deste serviço internacionalmente e é importante que os governos considerem o potencial da faixa de 3,3 – 3,7 GHz como espectro para este caso de uso.

Os veículos aéreos não tripulados (VANT) ou “drones” podem ter impacto em vários setores, como na agricultura, no transporte de mercadorias ou em cidades como uma ferramenta de monitoramento de infraestrutura crítica. Embora já contemple serviços para os VANTS utilizando redes Long Term Evolution (LTE), seu potencial se desenvolverá com redes 5G para integrar comunicações altamente confiáveis e melhores capacidades de transmissão de vídeo. É um caso que requer cobrir grandes distancias além da linha de visada, requer que as redes 5G estejam disponíveis e tenham capacidade suficientes em vários pontos geográficos.

Os trabalhos para padronizar a 5G atendem alguns novos casos de uso, contudo contempla o surgimento de aplicações que ainda não foram desenvolvidas, como ocorreu com as gerações móveis prévias. É importante que a nova geração de tecnologias móveis conte com suficiente espectro radioelétrico e um marco favorável para a instalação de mais infraestrutura.

O estudo “Inovação em serviços 5G: saúde, drones, banda larga e realidade estendida” pode ser baixado aqui.

###

Sobre a 5G Americas: A Voz da 5G e LTE para as Américas
A 5G Americas é uma associação setorial dos principais provedores de serviços e fabricantes do setor de telecomunicações. A missão da organização é de apoiar e promover o desenvolvimento total das capacidades da tecnologia sem fio LTE e sua evolução além da 5G, em todo o ecossistema de redes, serviços, aplicativos e dispositivos sem fio nas Américas. A 5G Americas fomenta o desenvolvimento de uma comunidade conectada e sem fio e está liderando o desenvolvimento da 5G para toda a região das Américas.  A 5G Americas é sediada em Bellevue, no estado de Washington. Para mais informações, visite www.5gamericas.org. Siga-nos no Twitter: @5GA_Brasil, no Facebook e acompanhe nosso grupo no Linkedin: 5G Americas – Latin America & Caribbean.

Os Membros do Conselho de Administração da 5G Americas incluem: AT&T, Cable & Wireless, Ciena, Cisco, CommScope, Crown Castle, Ericsson, Intel, Mavenir, Nokia, Qualcomm Incorporated, Samsung, Shaw Communications Inc., T-Mobile US, Inc., Telefónica e WOM.