5G e IoT capturam a atenção do mercado brasileiro no Futurecom 2018

Cobertura especial Futurecom 2018 – Embora a indústria de telecomunicações esteja voltada para o desenvolvimento de serviços de banda larga associados à LTE, as discussões do setor já estão pensando no futuro. Por isso, muitas vezes escutam debates sobre a implementação da 5G e da Internet das Coisas (IoT) entre os principais temas para a incorporação das Tecnologias da Informação e da Comunicação para melhorar as condições de vida dos habitantes.

Estas discussões estiveram presentes na vigésima edição do Futurecom, que aconteceu em São Paulo, Brasil, de 15 à 18 de outubro de 2018. O congresso tem um caráter regional, conta com alto nível de debate em seus painéis e possui uma feira onde mostram os principais atores da indústria, junto aos novos jogadores que pretendem conquistar um lugar.

Neste sentido, as possibilidades de desenvolvimento da 5G e as oportunidades que em um futuro próximo irá gerar IoT foram discutidas pelos diferentes jogadores do setor. Além disso, temas como a inteligência artificial e o Big Data fizeram parte das discussões sobre o futuro da indústria na região.

Com uma visão mais centrada no Brasil, foram debatendo as possibilidades que estas tecnologias permitem desenvolver nos diferentes mercados verticais, para então poder melhorar as condições produtivas e os serviços para a população no mercado. Assim como a importância para que se adequem as condições regulatóris e competitivas para que possam potencializar o desenvolvimento da tecnologia.

Durante o debate sobre as oportunidades para melhorar o desenvolvimento de aplicativos, os serviços, as soluções, produtos e sistemas, os presidentes das principais operadoras móveis do Brasil reconheceram que esperam um avanço gradual no momento de implementar a tecnologia, para o qual encontram-se trabalhando desde agora.

Os diversos jogadores reconheceram que estão trabalhando na atualidade para o futuro, preparando as redes atuais para poder dar o salto de forma eficientes quando for o momento do desenvolvimento da 5G. Para isto, destacaram a importância de ir redefinindo um modelo de negócios e aproveitar os diferentes modelos no quais a 4G lhes permite ir avançando.

Dentro dos pedidos realizados para as operadoras com os objetivos de estarem preparadas para poder enfrentar o desenvolvimento da 5G estão a necessidade de que existam as primeiras licitações de espectro durante o próximo ano. É importante reforçar que esta nova geração de tecnologias móveis necessitará tanto das bandas baixas como das bandas médias e milimétricas para então pode aproveitar de forma eficiente os diferentes modelos de negócios que propõem.

Um dos pontos importantes que devem considerar as autoridades no momento de outorgar espectro para a 5G, é a limpeza do mesmo. Ou seja, para evitar os problemas que existem como a entrega de espectro para a LTE, é importante que as entregas de espectro para a 5G estejam prontas, para serem utilizadas pelas operadoras de maneira imediata.

Por sua vez, as diferentes operadoras reforçam a importância de manter a infraestrutura pronta para o salto tecnológico. No entanto reforçam que o novo desenvolvimento irá requerer uma maior quantidade de radio base para poder atender todos os modelos de negócios que esperam para a 5G. Por isso, torna-se indispensável que exista no mercado uma flexibilização das demandas burocráticas para a construção de redes, de maneira que as operadoras possam alcançar grandes coberturas de forma mais simples.

A inclusão da IoT também faz parte dos principais debates do evento, em particular debateu-se sobre os problemas que teve o Plano Nacional de Internet das Coisas, que desenvolveu o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação na sociedade com o BNDES. A busca por gerar condições de redução imposta por parte das autoridades do Brasil, para estimular o crescimento desta tecnologia é muito positiva. No entanto, no momento não se procura colocar em prática efetiva.

O desenvolvimento de IoT é importante não apenas para acompanhar as novas ofertas de serviços para a 5G, mas também potencializar os diferentes mercados verticais. A combinação de ambas soluções permitirá melhores oportunidades para telessaúde, tele-educação e e-Agricultura, melhorando as oportunidades de crescimento destes setores e potencializando a qualidade de vida dos habitantes.

Em síntese, os debates dos diferentes jogadores do Brasil se deram no Futurecom apresentam um cenário positivo para o desenvolvimento da 5G e IoT. Ainda que deva existir maior trabalho das autoridades para criar condições necessárias para que estas tecnologias possam ser desenvolvidas de forma eficiente no mercado.

0 comments on “5G e IoT capturam a atenção do mercado brasileiro no Futurecom 2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.