5G Americas e Centro Argentino de Engenheiros firmam acordo para incentivar o desenvolvimento da infraestrutura de telecomunicações

  • A 5G Americas e o CAI firmaram um acordo para promover o desenvolvimento de redes de ecossistemas de quinta geração;
  • O acordo foi assinado durante a conferência El Caminho de la Argentina hacia 5G, do qual participou o subsecretário de Tecnologias da Informação e das Comunicações, Martín Olmos;
  • Painel de especialistas abordou questões sobre a 5G na região e os desafios que enfrentam as operadoras de telecomunicações e governos.
 
A organização 5G Americas e o Centro Argentino de Engenheiros (CAI) firmaram um convênio de cooperação no último dia 10 de março, do qual ambas as entidades de comprometeram a trabalhar no intercâmbio de informação sobre os desenvolvimentos da 5G, a análise das tendências tecnológicas e a discussão sobre exigências de espectro radioelétrico, além da promoção dos ecossistemas que permitam incentivar estas redes em benefício do desenvolvimento econômico e social dos países.

O acordo foi assinado por Celedonio von Wuthenau, representante especial da 5G Americas, Horacio Cristiani, presidente, e Diana Marelli, secretária do CAI, durante o evento El Camino de la Argentina hacia 5G, realizado na biblioteca Luis Huergo do Centro Argentino de Engenheiros, na cidade de Buenos Aires.
O encontro aconteceu no marco dos 125 anos desta entidade e dos 150 anos da graduação de Luis Huergo como o primeiro engenheiro argentino.

Roberto Massa, presidente do Departamento Técnico do CAI, abriu a jornada e se referiu ao padrão da engenheira como atividade estratégica para o desenvolvimento da Argentina e as necessidades da sociedade. “Para que o poder político tome boas decisões precisa ter informação adequada e os engenheiros podem dar essa informação de qualidade”, assegurou Massa.

Por sua vez, Celedonio von Wuthenau, em representação especial da 5G Americas disse que “o desenvolvimento da quinta geração de redes se caracteriza por ser muito positiva para as operadoras e a economia em geral pela habilidade de escala e pela capacidade, porquê hoje as redes são principalmente para pessoas. Contudo com a 5G e a Internet das Coisas (IoT) toda atividade do ser humano ocorrerá por estas redes”.

Martín Olmos, Subsecretário de Tecnologias da Informação e das Comunicações da Secretaria de Inovação Pública, se referiu à política vista em sua área e destacou que “as tecnologias da informação e as comunicações são fundamentais para o desenvolvimento das pessoas. A Argentina é um país com vocação industrial e, neste contexto, a conectividade é fundamental, por isso também é fundamental a maneira como incorporamos a 5G”.
 
NOTA AOS EDITORES:
Imagens disponíveis em: https://www.flickr.com/photos/4gamericas-cala/albums/72157713449545058