Tapa PT

5G Americas anuncia novo estudo sobre banda larga de 700 MHz na América Latina

A Banda larga de 700 MHz foi alocada, em alguns casos para serviços de banda larga móvel em vários mercados da América Latina. Por sua facilidade de propagação apresenta-se como um importante alternativa para expandir os serviços de conectividade na região. A 5G Americas publicou um novo estudo “A Banda de 700 MHz na América Latina” que apresenta o cenário geral dessa faixa de banda de espectro de rádio na implementação de serviços de banda larga móvel. O documento destaca que a maioria dos latino-americanos atribuiu a faixa de 700 MHz aos serviços móveis. O estudo observa que, embora existam pelo menos 25 redes LTE implantadas nesse espectro na América Latina, a mesma não está disponíveis em todos os países. Em mercados como Argentina e Brasil, por exemplo, a banda de 700 MHz foi disponibilizada muitos anos após sua alocação para serviços móveis (em todo o país em 2018 na Argentina e 2019 no Brasil). Parte do recurso de rádio é ocupado por outros serviços, principalmente transmissões de sinais de televisão que levarão algum tempo – até anos – para migrar da posição espectral, levando em consideração as datas do apagão analógico. Observa-se também que, devido às suas características, é uma das bandas mais favoráveis para acelerar a adoção de serviços de banda larga móvel. E enfatiza que as administrações onde não foi alocada, devem definir o roteiro para disponibilizá-la ao setor, considerando a participação de todos os atores, para que a referida alocação seja feita nos momentos mais adequados para possibilitar a implantação da rede que permitirá acelerar a adoção desses serviços. O estudo detalha que uma das características fundamentais da banda de 700 MHz é sua grande capacidade de propagação de sinal, o que torna atraente a expansão da cobertura de serviços de banda larga sem fio em áreas com baixa densidade populacional, com implantação de rede mais rápida e barata. Situação que se torna ideal para aprimorar a crescente economia digital, incorporando a digitalização em setores da sociedade que foram postergados até agora por condições geográficas. Com maior acesso à conectividade, os países da região poderão fortalecer os diferentes setores da economia e melhorar os serviços de assistência social à população. Essa etapa é essencial para implementar o teletrabalho, a agricultura eletrônica e outros programas que buscam aumentar a produtividade do país, bem como os serviços de telessaúde e teleducação para que os cidadãos possam melhorar sua qualidade de vida. O relatório “A banda de 700 MHz na América Latina” pode ser baixado aqui.