Os serviços móveis apresentam múltiplas oportunidades para colaborar com os diferentes setores produtivos da economia, entre eles, a agricultura. O Projeto Apoio à Agricultura Familiar PROAGRIF da Bolívia apresentou um serviço de informações que informa os preços de mercado por atacado e varejo através de mensagens de texto (SMS) a produtores do Vale do Rio Chico, do distrito 7, no município de Sucre.

Trata-se de uma primeira aproximação da tecnologia móvel aos serviços de Agricultura. A medida abrange as comunidades de Surima, Surimita, Chaquito, Monteroyoj, Thacoyoj, Chaco, La Compuerta, Camos, Tapial, Chacarilla, Ovejerias, Chuqui Chuqui, Naranjos 1. Nessa região, os produtores de frutas e hortaliças receberam treinamento para aprender a usar a plataforma e solicitar os preços de mercado. Eles informaram os números dos seus celulares para a elaboração de um cadastro e, assim, receber os preços via SMS.

O projeto tem apoio da Cooperação Técnica Belga (CTB) e inclui mais de 400 famílias que trabalham na produção de tomate, couve, pimentão, mamão e abacate do Rio Chico. Os SMS enviados pela plataforma contêm informações de referência de preços atacadistas e varejistas dos mercados de Sucre, Potosí, Monteagudo e Camargo, atualizadas diariamente e de maneira imediata a partir das 5h00m da manhã.

O PROAGRIF visa fortalecer de forma integral a produção familiar hortifrutícola com tecnologias apropriadas que permitam alcançar a soberania alimentar, gerando aparatos produtivos autossustentáveis, com uma forte abordagem orientada para a utilização de técnicas de produção agroecológicas destinadas a melhorar a economia comunitária, estruturando um sistema municipal de cadastro de produtores e produção, com o objetivo de facilitar o investimento público municipal para os pequenos produtores familiares.

Além disso, visa dar prioridade à produção de alimentos para mercados locais, atendendo às potencialidades produtivas da região e seu ecossistema. O programa se propõe fortalecer de maneira integral a produtividade e produção agrícola familiar para que os produtos certificados pelos municípios ganhem competitividade, garantindo uma oferta de qualidade nos mercados.

A plataforma de mensagens é muito valiosa para os produtores, pois ela fornece as informações necessárias para a comercialização dos seus produtos. Além disso, a rapidez com que recebem a informação permite que eles determinem a necessidade de se deslocarem até o mercado ou a possibilidade de esperar por melhores ofertas no próprio mercado. Nesse sentido, a tecnologia móvel é uma grande contribuição na vida cotidiana destes agricultores da Bolívia.

De acordo com a Autoridade de Regulação e Fiscalização das Telecomunicações e Transportes (ATT), durante 2014, o mercado móvel boliviano tinha mais de 10,4 milhões de linhas móveis. Segundo a Autoridade, 66,8% dos usuários da internet móvel estão conectados à rede 2G, 32,5% ao sistema 3G e 0,63% à rede LTE. Nessa realidade, fazia sentido que a plataforma desenvolvida fosse centrada no acesso via SMS.

Os dados do Regulador das Telecomunicações também informam que cerca de 98% das conexões à internet são móveis. Isto é, o mundo móvel abrange quase a totalidade dos acessos à rede na Bolívia. Da mesma forma, de acordo com a Câmara das Telecomunicações da Bolívia (Catelbo), os assinantes da internet móvel tiveram um crescimento de 993% entre 2011 e 2014. Por isso, as tecnologias móveis representam uma oportunidade de crescimento importante, pois elas podem aproveitar que grande parte dos internautas estão familiarizados com o acesso através de redes sem fio.

Embora o caminho a percorrer ainda seja longo, o PROAGRIF está dando seus primeiros passos na utilização de serviços móveis para promover o segmento da agricultura. Estes são, em primeira instância, positivos; resta saber se eles estão prontos para dar o próximo passo para o acesso à banda larga móvel.

A incorporação da LTE poderia significar uma mudança qualitativa, especialmente se for considerado que as três operadoras móveis atuando no mercado têm redes ativas dessa tecnologia. Nesse sentido, seria importante que as autoridades bolivianas considerem políticas de desenvolvimento de um ecossistema LTE.

Entre as políticas que promoveriam a adoção de serviços LTE no mercado, sobressaem as facilidades para os operadores desenvolverem as redes. Outro aspecto importante é a diminuição de impostos para os serviços de telecomunicações. Também, a adoção de mais medidas que facilitem a abertura para a importação de terminais de acesso móvel; estas duas últimas políticas se traduziriam em maior quantidade de linhas LTE no mercado.