As políticas que buscam reduzir a exclusão digital nos mercados englobam diferentes estratégias por parte das administrações que as realizam. A possibilidade de aumentar o acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) entre a população é um objetivo que inclui a maioria dos governos da região.

Nestas circunstâncias, as tecnologias de acesso móvel transformam-se em uma oportunidade para as diferentes administrações. No Brasil, 92,3% dos 69,2 milhões de domicílios do país possuía ao menos um telefone móvel em 2016, tanto que o telefone fixo foi encontrado em apenas 34,5% dos lares brasileiros. No acesso à internet, por sua vez, alcançava 63,6% dos lares do país. Assim, 60,3% dos lares o fazia por meio de um telefone móvel.

Assim apontou o  Instituto Brasileño de Geografía y Estadísitcas (IBGE), através da Pesquisa Nacional por Mostra de Lares (ou Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios ou PNAD), de 2016. Trata-se de uma mostra multiuso de domicílios do Brasil que pesquisa diversas características socioeconômicas. A pesquisa envolve diferentes regiões de todo o país, incluindo áreas rurais.

Todavia demonstrou que o acesso aos notebooks em 2016 foi de 40,1%. Por sua vez, a conexão por meio de Tablets foi de 21,1% e o acesso à banda larga por meio da TV chegou a 7,7%, apesar deste tipo de dispositivo estar em 97,4% dos domicílios. Contudo, outros equipamentos alcançaram 1%.

A pesquisa reflete que durante 2016, o Sudeste tinha a maior porcentagem de domicílios com acesso à Internet: 71,7%. Enquanto que a região Norte registrou a menor quantidade de domicílios com acesso por meio de notebooks (20,9%). Por sua vez, o Nordeste teve durante 2016 a menor quantidade de residências que acessaram a Internet por meio de um telefone móvel em todo o território brasileiro, 48%.

Como pode-se observar, os dispositivos móveis são uma grande fonte de acesso à Internet para a população brasileira. Para que esta condição se mantenha, é necessário que as autoridades mantenham seu trabalho no que se refere a gerar maiores possibilidades para sua adoção. Em particular porque é por meio da banda larga sem fio que podem potencializar outros setores e dessa maneira melhorar a qualidade de vida dos habitantes.

Ou ainda, a conectividade é uma ferramenta necessária no Brasil para potencializar a Telessaúde, o teletrabalho, a tele-educação, a e-agricultura e outras iniciativas que permitem aos cidadãos acessar maiores serviços ou melhorar suas condições produtivas. Por isso, todo o trabalho das autoridades para melhorar o acesso à banda larga é fundamental.

Neste cenário faz-se necessário a disponibilidade de espectro radioelétrico para serviços de banda larga sem fio. Neste sentido, é necessário esclarecer que não apenas é importante que as operadoras possam acessar licitações sobre este bem finito, como também saber que ao ser entregue pelas autoridades esteja limpo (ou seja, que não esteja ocupado por outros atores que impeçam seu uso ótimo).

Também a respeito do espectro radioelétrico, é necessário que exista uma agenda de entrega do mesmo. Desta forma, possibilita que a indústria possa planejar sua aquisição e sua exploração, reduzindo assim os custos e melhorando o desenvolvimento destas tecnologias.

Por isso, é necessário que se reduzam as taxas de imposto que pesam sobre o setor de telecomunicações. Uma carga tributária menor nos componentes de rede é uma medida que tende a melhorar as condições de investimento das operadoras, incentivando assim o crescimento da cobertura de serviços. Por outro lado, a renovação de cobranças nos dispositivos de acesso os torna mais acessíveis para a população, permitindo que mais cidadãos tenham este tipo de terminais.

Para ampliar a cobertura, é fundamental que se busque a flexibilização da construção de redes de telecomunicações. Em geral, a implementação de antenas móveis conta com uma carga pesada de trâmites, que podem ser reduzidos, incentivando assim seu desenvolvimento. Além disso, a homogeneização destas medidas a nível nacional confirma maiores facilidades para as operadoras no momento de desenvolver seus serviços.

Como pode-se observar, os dispositivos móveis transformam-se em uma importante ferramenta para melhorar o acesso à Internet para a população do Brasil. Desta forma, mudam os avanços na redução da exclusão digital, melhorando as condições de vida dos cidadãos. No entanto, as autoridades devem se manter no caminho com políticas que incentivem a indústria das telecomunicações com a finalidade de aumentar a inclusão da população.