Entre as opções que as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) podem proporcionar aos diferentes países da região está a integração cultural. A tecnologia é uma ferramenta poderosa no momento de integrar comunidades que possuem costumes diferentes, potencializando também a qualidade de vida dessas populações.

Neste sentido, o México desenvolveu a plataforma Povos e Comunidades Indígenas, das quais contempla mais de 90 materiais audiovisuais e infográficos traduzidos para 9 idiomas indígenas. Esta ferramenta faz parte de uma iniciativa do Instituto Federal de Telecomunicações (IFT) lançada em agosto de 2018.

Esta iniciativa recebeu o prêmio “WSIS Prizes 2019 Champion”, que reconhece os 5 projetos mais votados de cada uma das 18 categorias contempladas no concurso “Diversidade e Identidade Cultural, diversidade linguística e conteúdo local”. O prêmio é entregue no concurso da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação do Conhecimento (WSIS) da União Internacional de Telecomunicações (UIT). Dentro desta categoria participaram mais de 21 projetos de países como Brasil, Emirados Árabes, Estados Unidos, Uganda e Vietnam.

A Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação 2019 foi organizada em conjunto pela UIT e pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) E UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento); e representa a maior reunião anual da comunidade de Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC) para o desenvolvimento.

A plataforma Povos e Comunidades Indígenas desenvolvida no México possui informação de diferentes sessões que permitem observar qual maneira evoluiu sua implementação. Em primeiro lugar existem para os usuários mais de 90 materiais audiovisuais e infográficos traduzidos para 9 idiomas para proteger e fomentar o respeito dos direitos dos usuários dos serviços de telecomunicações.

Em segundo lugar, também se mostram os resultados do Diagnóstico de cobertura de telefonia e internet móvel em cada uma das localidades com presença de população indígena de 66 povoados indígenas. Por último, os usuários proporcionam informações sobre os tramites para a obtenção de concessões de radiodifusão para o uso social, comunitário ou indígena.

A iniciativa é importante para melhorar as condições de vida dos povos originários do México. A conectividade lhes permite não apenas melhorar o acesso à informação, mas também abre oportunidades para aumentar o acesso ao sistema de saúde, e a produtividade destes povos por meio da geração de novos negócios.

Ou seja, a plataforma traz uma grande quantidade de benefícios aos povos indígenas que habitam o México. Ao mesmo tempo, procura realizar um trabalho de inclusão e digitalização da população, aumentando suas oportunidades produtivas, mas também suas opções de mostrar ao resto do país sua cultura.

Para que iniciativas como esta possam se desenvolver de forma eficiente é importante que as autoridades mexicanas aumentem a conectividade da população, em particular em áreas rurais e distantes dos grandes centros urbanos onde estão a maioria dos habitantes dos povoados indígenas. Para isto, os desenvolvimentos dos serviços de banda largam sem fio e móvel se apresentem como os mais eficientes para cobrir estas distancias de maneira efetiva.

Tecnologias de banda larga móvel como a LTE, e em um futuro próximo a 5G, aparecem como alternativas eficientes para levar conectividade de alta velocidade cobrindo grande áreas com transmissões robustas. Para isto, é importante que as autoridades gerem ótimas condições para que estas tecnologias se desenvolvam.

É importante reforçar que o México é um dos poucos países da região que contam com uma agenda de futuras licitações de espectro, estratégia das autoridades que permite para a indústria planejar de forma mais eficiente a construção de novas redes. De todas as formas, é também necessário que se aumente a porção de espectro destinado aos serviços móveis, de forma a cumprir com as demandas de espectro radioelétrico da União Internacional de Telecomunicações para o ano 2020.

Outra medida necessária para que as operadoras possam alcançar a cobertura de serviços é uma flexibilização das questões burocráticas que existem no momento de desenvolver uma rede de telecomunicações. A existência de uma lei que permite a indústria conhecer os requerimentos necessários para a construção de rede é necessária para que exista previsibilidade entre as operadoras.

Por sua vez, é importante que exista uma redução dos impostos que pesam sobre os terminais de acesso e componentes de redes. Neste último ponto, é fundamental para as operadoras que possam reduzir os custos de desenvolvimento de suas redes. Tanto que uma baixa nos dispositivos de acesso irá permitir que se tornem mais acessíveis e, portanto, uma maior quantidade da população possa acessá-los.

A plataforma Povos e Comunidades Indígenas desenvolvida pelas autoridades mexicanas é de grande utilidade para aumentar a inclusão digital neste país. No entanto, é necessário que esteja acompanhada por um aumento na cobertura de banda larga móvel no mercado, para assegurar um melhor funcionamento.