O perfil do usuário panamenho revela seu desejo de adotar rapidamente novas tecnologias.  Criar condições necessárias para o aumento do uso de aplicativos móveis e outras inovações tecnológicas como a 5G, é uma questão importante para as autoridades governamentais do país.

O mercado de telecomunicações do Panamá apresenta condições para se transformar no médio prazo em um dos mais avançados da América Latina. A revolução que propõe a economia digital irá potencializar as oportunidades de crescimento do país. Esta revolução será refletida no desenvolvimento econômico e social do Panamá, segundo explica o estudo Temas em Regulamentos das Telecomunicações no Panamá” publicado pela 5G Americas e que faz parte da Série de Estudos dos Mercados da América Latina.

A alta penetração de tecnologias móveis possibilita que o Panamá tenha atividades produtivas e de desenvolvimento social, aproveitando suas condições para melhorar outros setores da economia e da sociedade. Desta forma, cria uma oportunidade para as autoridades para potencializar o mercado para se posicionar como uma economia digital crescente.

“Uma das condições importantes que possui o mercado é a grande capacidade de novas tecnologias disponíveis para os seus habitantes. Neste cenário, é importante que as autoridades considerem as questões relacionadas com a infraestrutura e o espectro radioelétrico para que a evolução da 4G, assim como a chegada da 5G, sejam eficientes. Em particular, para aproveitar o desenvolvimento da Internet das Coisas (IoT), o que permitirá a digitalização dos segmentos produtivos da economia”, reforçou Jose Otero, Vice-presidente para América Latina e Caribe da 5G Americas.

O estudo reforça que o Panamá é um dos países que possui menor quantidade de espectro radioelétrico alocado para o uso de serviços móveis (240 MHz). Devido a alta penetração de serviço, as autoridades do mercado deveriam considerar dispor de maior quantidade desse espectro para estas tecnologias. Para melhorar esta situação, a Autoridade Nacional dos Serviços Públicos (ASEP) conta com cerca de 90 MHz na banda AWS como capacidade adicional para serviços de banda larga móvel. No entanto, a autoridade regulatória não alocou a banda de 2,5 GHz para serviços móveis, porção que pode ser utilizada para desenvolvimento da LTE. Assim, o segmento 614-698 MHz neste mercado tampouco foi atribuído para serviços móveis.

Também é importante que as autoridades homologuem a regulamentação sobre o desenvolvimento de redes sem fio, de forma a conseguir um consenso a nível nacional que permita às operadoras ter previsibilidade na construção de novas redes. Estes esforços são necessários para potencializar a chegada dos Sistemas de Alerta de Tempo no Panamá, que estão a cargo do Sistema Nacional de Proteção Civil (SINAPROC), incorporando melhores serviços de alertas sobre o tempo para a população, estratégia essencial para poder salvar vidas ante qualquer desastre natural.

Neste estudo, são analisados os principais indicadores do mercado de banda larga móvel, assim como características e oportunidades de desenvolvimento em um ambiente digital. E, por fim, destaca a situação do espectro radioelétrico, o desenvolvimento de infraestrutura, as normas para implementar bloqueadores de sinal e o uso de serviço universal.

O estudo “Temas em Regulamentos das Telecomunicações no Panamá” pode ser baixado aqui.