A possibilidade de gerar cidades sustentáveis que possam avançar tecnologicamente, respeitando o meio ambiente é um desafio para vários mercados da região. Nesse contexto, a conectividade apresenta uma importante oportunidade para melhorar o compartilhamento de experiências e projetos das diferentes cidades, bem como a inclusão de novas tecnologias para monitoramento ambiental.

Nesse contexto, o Brasil implantou o projeto CITinova, no qual apresentou uma nova plataforma para o Programa Cidades Sustentáveis e o Observatório da Inovação para Cidades Sustentáveis. O Projeto Multilateral realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) é financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), gerenciado pelo Meio Ambiente da ONU.

Por meio da nova plataforma, uma das frentes de atuação do projeto, o sistema web integra o Programa Cidades Sustentáveis, com mais recursos e ferramentas, e o Observatório da Inovação para Cidades Sustentáveis (OICS), desenvolvido pelo Management Center de Estudos Estratégicos (CGEE). Os principais objetivos são oferecer conteúdo, metodologias, soluções tecnológicas e ferramentas integradas de planejamento urbano para apoiar os gestores públicos, incentivar a participação social e promover cidades mais justas e sustentáveis.

Com abrangência no Brasil e ações específicas em Brasília e Recife, o projeto CITinova é composto por três principais frentes de atuação:

Planejamento Urbano Integrado: Produção de conhecimento e ferramentas para a gestão integrada de políticas públicas e participação social para a construção de cidades sustentáveis no Brasil. Acessíveis aos gestores públicos e à sociedade em geral, os novos sistemas terão como objetivo apoiar, facilitar e fortalecer a governança local.

Projetos-piloto em Brasília e Recife: possuem tecnologias inovadoras que impactam e ganham escala. Entre as diversas ações, estão ocorrendo a recuperação de nascentes e a implantação do Sistema Agroflorestal Mecânico nas bacias de Desoberto e Paranoá, em Brasília; diagnóstico de contaminação e remediação do aterro estrutural com birremediação para testes de absorção de contaminantes. Em Recife, urbanização de dois trechos das margens do rio Capibaribe, com jardins de filtro e barcos movidos a energia solar, três estações de microclima.

Plataforma PCS e Observatório da Inovação: ambiente Web com disponibilidade de tecnologias, indicadores de soluções inovadoras, boas práticas e muitas outras ferramentas para gestores e sociedades públicas em geral. As lições aprendidas com os projetos-piloto também estarão na plataforma.

A implementação de todas as ações ocorre simultaneamente e inclui o MCTIC, ONU Meio Ambiente, Ministério do Meio Ambiente em Brasília, a Agência de Inovação do Recife e o Núcleo de Estratégia e Gestão do Porto Digital em Recife, o Centro de Estudos Estratégicos e de Gestão e o Programa Cidades Sustentáveis.

Essa iniciativa deve ser acompanhada por outras pessoas que buscam aumentar a conectividade no mercado, a fim de aumentar seu sucesso. A possibilidade de contar com sensores e dispositivos que medem o nível de poluição, estuda os movimentos do tráfego para melhorar a urbanização e desenvolve outros tipos de controles que visam melhorar a qualidade de vida dos cidadãos é essencial para esse tipo de projeto. Em particular, quando a banda larga móvel é usada com tecnologias como LTE e 5G no futuro.

A combinação de 5G e Internet das Coisas (IoT) é uma ferramenta necessária para que esses sensores se comuniquem em tempo real com dados confidenciais ao tomar decisões. Assim, é importante que sejam implantadas políticas que estimulem a adoção da banda larga móvel na população.

Nesse sentido, é necessário que grandes porções do espectro de rádio sejam disponibilizadas para a indústria de banda larga móvel. Assim como a geração de agendas para futuros concursos de espectro que permitam à indústria planejar com eficiência a implantação de novas tecnologias.

Como pode ser visto, a implantação do projeto CITinova pode ser um grande passo à frente para melhorar as condições de vida das principais cidades do Brasil. No entanto, ele deve ser acompanhado por uma estratégia que busca aumentar a conectividade no mercado.