Entre as diferentes maneiras pelas quais as tecnologias da informação e comunicação ajudam a melhorar as condições de vida dos cidadãos, está a possibilidade de incentivar os sistemas de produção. Ajudar a indústria a se mover em direção à digitalização é importante para o país se mover globalmente.

Nesse contexto, a Câmara da Indústria Brasileira 4.0 aprovou o plano de ação para o período de 2019 a 2020. O objetivo é aumentar a competitividade e a produtividade das empresas brasileiras por meio de fabricação avançada. O trabalho é coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e pelo Ministério da Economia, em parceria com mais de 30 instituições governamentais, privadas e acadêmicas.

O plano visa acelerar o processo de treinamento de recursos humanos e desenvolver ferramentas para o setor produtivo incorporando tecnologias 4.0. Dessa forma, busca aumentar a produtividade das empresas, gerando maiores lucros para a sociedade. Esse objetivo foi estabelecido pela Secretaria de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, que visa a construção coletiva de trabalho entre os setores público e privado, com ações concretas em benefício da indústria local.

O plano de ação busca avançar no uso concreto de práticas relacionadas à indústria 4.0 no Brasil e, com isso, aumentar a competitividade e a produtividade das empresas nacionais. Outros objetivos são melhorar a inserção do país nas cadeias de valor globais e introduzir o uso de tecnologia avançada de fabricação em pequenas e médias empresas.

As ações e iniciativas do plano estão divididas em quatro temas: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Capital Humano, Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores, Regulamentação, Regulamentos Técnicos e Infraestrutura. Para todas essas questões, foram fornecidas formas de financiamento e promoção para as empresas entrarem no ambiente da indústria 4.0.

O plano de ação será válido para o período de 2019 a 2020 e deve ser avaliado e revisado anualmente. A implementação das ações e iniciativas será de responsabilidade das instituições que atuarão na formulação do plano. As sugestões apresentadas durante a reunião do Conselho Superior da Câmara são de que as ações sejam monitoradas a cada três meses.

A Câmara da Indústria Brasileira 4.0 foi lançada em abril deste ano pelo MCTIC e o ME, com a colaboração de instituições públicas, produtivas e acadêmicas. O conceito da Indústria 4.0, também conhecido como manufatura avançada ou quarta revolução da indústria, abrange inovações no campo da automação e utiliza tecnologias como Internet das Coisas (IoT) e computação em nuvem.

Para aprimorar as oportunidades de IoT, é necessário trabalhar na adoção de serviços de banda larga móvel, principalmente em LTE e no futuro próximo na 5G. Ambas as tecnologias, devido às suas características, permitem um número maior de dispositivos conectados e interagindo entre si.

No entanto, para que essas tecnologias avancem em um ecossistema saudável, é necessário que as autoridades brasileiras avancem em uma maior disponibilidade de espectro de rádio para serviços de banda larga móvel. Também é importante que as partes do espectro ofertadas estejam “limpas” para que as operadoras possam usá-las rapidamente. Também é necessário ter uma agenda de licitações futuras para gerar maior previsibilidade no setor ao fazer investimentos.

As iniciativas para promover a digitalização da indústria pelo governo brasileiro são um grande passo à frente na digitalização da economia. No entanto, devem ser alavancados por incentivos ao setor de telecomunicações, a fim de aumentar a conectividade no mercado.