Por Jose Otero, Diretor da 5G Americas para América Latina e Caribe

As condições da América Latina e do Caribe apresentam certas coincidências que permitem associar os diferentes países que a compõem. Em particular, eles são atravessados por problemas semelhantes em termos de educação, economia, saúde, transparência, setores em que as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) funcionam como ferramenta interessante para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Jose Otero, Diretor da 5G Americas para América Latina e Caribe

Ao longo dos três anos, o Brecha Zero mostra em diferentes artigos a maneira pela qual os serviços de banda larga móvel e sem fio permitem que os cidadãos tenham acesso a diferentes benefícios associados à conectividade. As implementações da Tele Saúde, da Tele-Educação, do E-governo, entre outras, demonstraram a necessidade de melhorar o acesso na região para garantir a universalidade desses benefícios. Através do blog da 5G Americas, são divulgadas notícias sobre as diferentes iniciativas que governos, universidades, organizações não-governamentais e indústrias realizam para incorporar as TICs em diferentes setores da sociedade.

Desde a sua criação, o portal descreve diferentes iniciativas que os países da América Latina estão desenvolvendo para aproveitar as oportunidades que as TICs oferecem para o desenvolvimento social e econômico de cada um de seus países. Em cada uma dessas experiências, foi destacada a importância de promover a conectividade através da LTE, bem como as oportunidades que a 5G trará para melhorar essas experiências. Além disso, a partir deste novo ano, começaremos a incluir em nosso conteúdo mais informações sobre as iniciativas em 5G e banda larga móvel em nível regional e global.

A participação de diferentes atores no setor de telecomunicações, bem como representantes de organizações não-governamentais e autoridades governamentais, tiveram destaque durante o ano passado em diferentes entrevistas e colunas. Vários desses atores compartilharam seus pontos de vista sobre como as TICs ajudam a melhorar as condições de vida das pessoas. Entre outros, “Banco de Desarrollo de América Latina” (CAF), “Conecta Cultura”, a “Fundación País Digital” (Chile), a “GSMA”, a “Red Educativa Mundial” (REDEM), a “Secretaría Nacional de Tecnologías de la Información y Comunicación” (SENATIC), e a “Universidad Francisco Gavidia de El Salvador”.

Nas páginas do Brecha Zero, tivemos a oportunidade de cobrir os principais eventos ocorridos durante o ano, incluindo o Futurecom 2018 e o 5G Americas Wireless Technology Summit, um workshop com a participação de palestrantes e especialistas em telecomunicações de diferentes países da região e organizado pela 5G Americas. Mas houve também coberturas da 5G & LTE Latin America e do XV Fórum de Governo e Cidades Digitais.

A primeira edição do Brecha Zero encontrou a América Latina com 41 por cento dos acessos móveis da América Latina usando tecnologia 3G e apenas 3 por cento foram classificados como 4G (LTE), de acordo com dados fornecidos pela Ovum. Em meados de 2018, a LTE tinha 241 milhões de linhas, de um universo de 697 milhões de assinaturas móveis sem fio. Da mesma forma, o mesmo consultor espera que a LTE atinja cerca de 257,9 milhões de conexões até o final de 2018 (a projeção inclui M2M) e 36% de participação de mercado.

Esse crescimento possibilitou não apenas aumentar o número de pessoas conectadas, mas também aumentou o número de projetos implantados por diferentes governos, organizações não-governamentais e setor privado para promover o uso das TIC em benefício das pessoas. Ou seja, o aumento da penetração dos serviços móveis melhora as condições de sucesso dos diferentes programas que são implantados em diferentes setores para melhorar as condições dos cidadãos.

Para que esse crescimento na adoção de serviços de banda larga seja mantido de forma sustentável, é necessário implantar políticas que busquem estimular a adoção da banda larga móvel. Em particular, é necessário aumentar a quantidade de espectro radioelétrico disponível para serviços de banda larga móvel, bem como oferecer ao setor uma agenda que gere previsibilidade em futuras licitações.

No mesmo sentido, a simplificação dos processos burocráticos necessários para a implantação de redes de telecomunicações é outra das medidas a serem consideradas pelas autoridades, a fim de facilitar o lançamento de novas tecnologias.

Com base nessas medidas, os diferentes países da região podem aumentar a massificação dos serviços de banda larga móvel. Da mesma forma, a implementação resultará em maior acesso às TIC para a população, bem como para incentivar o desenvolvimento de iniciativas associadas à saúde, educação, trabalho e governo.

Olhando para o futuro, o Brecha Zero manterá seu compromisso de divulgar os diversos projetos voltados às TICs em massa no mercado, bem como sua implementação em diferentes setores que melhoram a qualidade de vida dos cidadãos. Além de complementar essa informação com a situação das novas tecnologias de acesso e sua evolução na América Latina.