A intervenção dos órgãos governamentais acerca da população no mundo digital é uma constante nos diferentes mercados da América latina. Estas iniciativas são realizadas de diferentes formas: entregando dispositivos, desenvolvendo acessos por meio de telecentros ou capacitando a população no uso das tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC).

Este último é realizado pelo Plano nacional de Inclusão digital da Argentina. Trata-se de uma política liderada pelo Ministério de Modernização com o apoio das carteiras de Desenvolvimento Social e Educação. Na metade de 2018 este plano havia alcançado seus primeiros 100 mil cidadãos capacitados.

A iniciativa foi lançada durante março de 2017 e seu objetivo é promover o uso das TIC para o crescimento pessoal e de trabalho mediante duas linhas de ação: alfabetização digital e habilidades digitais. Para realizar isto em todo país o plano se apoia em uma rede de mais de 250 estudantes universitários que são formados para cumprir o padrão de alfabetizadores digitais.

Dentro do programa estão incluídas palestras, cursos e sessões de assessoria personalizada para um conjunto de competências para a vida cotidiana, com foco nas populações em situações de vulnerabilidade. Neste sentido, cerca de 9 mil titulados do programa Hacemos Futuro passaram pelo curso ABC Digital, no qual aprenderam a usar e-mail, redes sociais, buscadores e outras ferramentais online.

Outro benefício no momento de adquirir ferramentas digitais foi os mais de 2.600 internos de unidades penitenciarias da província de Buenos Aires. Ali dita a capacitação com um currículo adaptado com fins de favorecer a posterior reinserção social.

Por sua vez, em Córdoba, Mendoza, Entre Ríos, Salta, Santa Fe, Tucumán e Buenos Aires, o plano acompanhou o programa de entrega de tablets “Más SIMPLE”. Este permite capacitar mais de 30 mil idosos no uso de dispositivos para informação, comunicação e entretenimento.

Outro dos pontos que o programa trabalha é o uso seguro e responsável da Internet. Para esse fim realizaram conversas de conscientização com mais de 20 mil pais e mães onde explicou-se a importância da perda do medo da tecnologia e como guiar seus filhos para navegar na internet. Também conversaram em escolas e colônias, das quais participaram 6 mil crianças e adolescentes.

Como parte da mesma iniciativa, os agentes de Buenos Aires do “El Estado en Tu Barrio” foram designados para diferentes instruções de alfabetização digital. Havia mais de 19 mil moradores utilizando e-mail no celular, além de explicar como solicitar créditos e obter o ingresso do aluno, entre outros procedimentos online.

As habilidades digitais que ensinam na iniciativa apontam para melhoria do desenvolvimento de destrezas para incentivar as oportunidades de emprego e as microeconomias. Buscou-se a inclusão de pequenos prestadores de serviços turísticos de Jujy, Salta, Misiones e Terra do Fogo para participar das capacitações em marketing digital. Também formou 5 mil empreendedores de diversos itens, entre eles da Agricultura Familiar, aprenderam a vender seus produtos pela internet para chegar a clientes e consumidores com maior autonomia.

O projeto desenvolvido na Argentina é uma parte importante da diminuição das exclusões digitais, a formação é necessária para que os habitantes conheçam de que maneira podem tirar o maior proveito possível das novas condições da economia. De todas as formas, é importante que estas iniciativas estejam apoiadas por facilidades de acesso aos dispositivos móveis e conectividade, para que dessa forma os habitantes aproveitem seus benefícios no cotidiano.

Em outras palavras, além de oferecer a formação, as autoridades argentinas devem ocupar-se em oferecer facilidades para melhorar o acesso à banda larga dos habitantes. Em particular em serviços de banda larga móvel, que por suas características possibilitam alcançar uma maior porção da população de maneira mais simples e rápida. Assim, tecnologias como a LTE transformam-se em uma oportunidade de acesso de alta velocidade.

Neste sentido, é importante que se coloque à disposição da indústria de serviços móveis maiores capacidades de espectro radioelétrico que permita evoluções tecnológicas para a população. É também necessário que exista uma agenda com futuras licitações de espectro que permita à indústria planejar seus próximos passos; e nessa linha é necessário que se flexibilizem as normas da construção de redes de telecomunicações, tanto fixas como móveis, unificando critérios nos diferentes municípios.

Da mesma forma, é importante que se reduzam os impostos que pesam sobre os dispositivos de acesso. Esta medida é importante para tornar mais acessível estes terminais, cobrindo assim uma parcela maior da população.

Como explicou-se, a iniciativa realizada pelo Ministério de Modernização da Argentina é importante para que as populações possam ingressar na nova economia digital. No entanto, é importante que esteja acompanhada por políticas que busquem aumentar a conectividade junto à população para assim melhorar as oportunidades deste projeto.