Entrevista com Hélio Oyama, Diretor de Gerenciamento de Produtos de Qualcomm Brasil

Um dos principais pontos para reduzir a exclusão digital entre os diferentes países que existem na América Latina é a possibilidade de que cada cidadão conte com um dispositivo de acesso. Os smartphones confirmam um avanço significativo para que a tecnologia esteja ao alcance das mãos de cada um dos habitantes da região.

Hélio Oyama, Diretor de Gerenciamento de Produtos da Qualcomm do Brasil.

A revolução que significou a evolução da penetração móvel, a importância das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) para o desenvolvimento dos países, e as oportunidades que apresenta a 5G para potencializar distintos mercados verticais foram os temas expostos por Hélio Oyama, Diretor de Gerenciamento de Produtos da Qualcomm do Brasil. O executivo ofereceu sua visão sobre a redução da importância do fim da exclusão digital e das oportunidades apresentadas pelas novas gerações de acesso.

Os principais pontos da conversa de Oyama com o Brecha Zero se expõem a seguir:

Brecha Zero: Como considera que as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) influenciam no desenvolvimento socioeconômico dos países?

Hélio Oyama: Acredito que, conforme sabemos das TIC, as tecnologias em geral, e especialmente os telefones celulares, dos quais a Qualcomm é líder, são ferramentas para ajudar as populações. Eles melhoram não apenas as condições de vida dos países desenvolvidos, como também as realidades dos países da América Latina. Ou seja, todos podem aproveitar os benefícios das TIC.

Brecha Zero: Como a redução da exclusão digital influencia na evolução de um país?

Hélio Oyama: A redução da exclusão é uma consequência direta da democratização da tecnologia, e em particular dos smartphones. Estes dispositivos possibilitam uma série de melhorias para os habitantes dos países latinos.

Em particular no que diz respeito à bancarização. No caso do Brasil, muitas pessoas tiveram acesso aos mais variados serviços bancários através dos smartphones, já que anteriormente não conseguiam acesso pelos meios convencionais. Dessa forma, os smartphones se tornaram um ótimo facilitador, e também permitiram a inclusão neste setor.

Da mesma forma, por meio dos smartphones e sua possibilidade de acesso aos aplicativos, os cidadãos puderam melhorar condições produtivas e acessar novas dinâmicas de mercado. Assim, estas tecnologias permitiram o fornecimento de serviços estruturados e formais, como por exemplo o Uber, ou outros que promovem a distribuição e logística de serviços de comida.

Dessa forma, pessoas sem acesso ou sem dinheiro suficiente para poder realizar campanhas de marketing e comunicação junto aos meios tradicionais, contam com oportunidades de mercado fazendo uso destes formatos digitais. Podendo acessar de maneira formal o mercado, com oportunidades de trabalho. Incluindo também a possibilidade de desenvolver seus próprios aplicativos para potencializar seus negócios.

Brecha Zero: Quais países da América Latina observa que realizaram os maiores esforços para reduzir a exclusão digital?

Hélio Oyama: Em termos gerais, todos os países da América Latina realizaram esforços para ter maior penetração de smartphones e serviços de TIC. A região trabalhou como um todo para reduzir esta lacuna e os serviços móveis colaboraram neste sentido.

Brecha Zero: Das inovações desenvolvidas pela Qualcomm, quais o senhor acredita que apontam para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos?

Hélio Oyama: Em geral, a Qualcomm se foca em tecnologias especificamente sem fio, em serviços móveis, WiFi e Bluetooth. Os celulares confirmam vantagens mais concretas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Ao pensarmos na evolução da tecnologia, podemos encontrar casos interessantes. Existe um futuro certo, e de fato muitos testes são realizados, de conectividade em automóveis. É um tema interessante quando se considera que 1.300 milhões de pessoas são mortas em acidentes de carro no mundo hoje, e 90% destes acidentes correspondem a falhas humanas.

Neste sentido, tecnologias móveis como C-V2X, que servem para comunicação entre autos e smartphones, infraestrutura e outros autos, têm como vantagem poder reduzir de forma significativa acidentes do tipo. A interação entre objetos, graças às suas condições de segurança permitem que ocorram menos acidentes de trânsito, e como consequência menos mortes.

Assim, a tecnologia também é uma ferramenta significativa do ponto de vista ecológico. Quando o automóvel se comunica com os semáforos pode receber a informação do tempo que levará para mudar para verde, permitindo que o motor do carro permaneça desligado e se reduza a emissão de gás pelo automóvel. Soluções deste tipo podem gerar um aporte significativo na redução de contaminação por gases.

Brecha Zero: Quais mercados verticais (saúde, educação, agricultura etc.) considera que possuem maiores oportunidades para crescer por meio da 5G?

Hélio Oyama: Além do comentário sobre o setor automotivo, a tecnologia 5G permitirá um aproveitamento pelos diversos setores da economia. Um dos principais será a agricultura, que é muito importante na economia da região. É um vertical que pode aproveitar muito bem os avanços tecnológicos.

Em particular a Agricultura de precisão que, combinada com a 5G, pode ser aproveitada para potencializar a produção e reduzir perdas. Assim, é um avanço ecológico porquê tal combinação permite reduzir o uso de pesticidas, já que oferece aos produtores a possibilidade de utilizar estes produtos de forma eficiente nos lugares onde são necessários.

Outros setores que serão beneficiados pela 5G são Saúde e Educação. Neste último caso, a possibilidade de conectar uma maior quantidade de escolas com velocidades eficientes para o uso da internet de forma mais rápida por meio de tecnologias sem fio. Ou seja, que pode aproveitar a maior velocidade de desenvolvimento de infraestrutura móvel para oferecer conectividade para escolas distantes dos grandes centros urbanos.

A indústria também será beneficiada pelo uso da 5G. Em particular a indústria 4.0, que poderá incorporar à nova geração digital o uso de robôs, inteligência artificial e realidade virtual. Neste sentido, a 5G se torna importante porquê outorga para a indústria confiabilidade de conexão, que é fundamental para que essas aplicações possam se desenvolver de maneira eficiente.

Brecha Zero: Quais medidas devem ser tomadas pelos governos da região para potencializar o uso da banda larga móvel?

Hélio Oyama: Duas características gerais podem ser destacadas: a entrega de espectro e o desenvolvimento de infraestrutura. No primeiro caso é necessário que as operadoras possam contar com maior largura de banda, que será o requerido para as operadoras para desenvolver 5G. Embora as distintas autoridades já trabalhem na identificação destas bandas de espectro, é necessário que avancem mais rápido para que sejam leiloadas, e dessa forma as operadoras possam desenvolver o quanto antes esta nova tecnologia.

Por sua vez, a 5G vai utilizar ondas milimétricas, o que supõe uma necessidade de maior quantidade de estações base e antenas. Por isso, é importante que as autoridades reduzam as normas burocráticas que existem em cada um dos municípios e trabalhem para criar uma lei nacional que diminua os trâmites necessários para desenvolver redes de telecomunicações.