A inclusão das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) nos governos são de vital importância para fortalecer o vínculo entre as autoridades e os cidadãos. A possibilidade de desenvolver centros de acesso na população amplia suas oportunidades do ponto de vista econômico, até educativo, entre vários outros aspectos.

Neste sentido, a Guiana desenvolveu uma série de centros TIC para beneficiar diferentes residentes da Região 10 do país. Assim, as comunidades de Linden, Victory Valley, Bamia e One-Mile Wismar. Estas iniciativas foram realizadas pelo Ministério das Telecomunicações.

Com este desenvolvimento as autoridades da Guiana têm como objetivo melhorar as condições de acesso dessas comunidades. Potencializando não apenas a educação e a possibilidade de acesso dos moradores, mas também colaborando no desenvolvimento da economia e, em particular, na agricultura da área.

Os centros contam com notebook e impressoras que estão à disposição dos habitantes. A possibilidade de que a população se cerque de tecnologia e acesso é de muita importância para o desenvolvimento das condições de vida. O centro TIC oferecerá a oportunidade, entre outras, de que os cidadãos possam realizar trâmites de maneira online.

Por sua vez, na instalação TIC do One-Mile Wismar, os habitantes também contarão com um centro de documentos. Tendo dessa maneira a possibilidade de realizar diferentes trâmites administrativos do país nessa localização. Dessa forma, consolida-se uma interessante estratégia de governo: a possibilidade de acessar a tecnologia e também de realizar diferentes diligencias nesse lugar, melhorando a abordagem das autoridades para a população.

A inclusão de centros de acesso às TIC por parte das autoridades é uma iniciativa positiva para a Guiana. Sua implementação facilita uma primeira abordagem às tecnologias para os habitantes dessas comunidades, aumentando significativamente suas oportunidades. Entre outros exemplos que podemos citar, estas iniciativas tendem a melhorar as condições comerciais da área, já que permitem aos habitantes introduzir dentro da oferta online seus próprios produtos.

Por sua vez, este tipo de desenvolvimento permite a formação da população a partir da possibilidade de acessar conteúdos educativos com assinatura. Aumentando as oportunidades de participar de diferentes cursos online, que em muitos casos são abertos para toda a população e oferecem temáticas variadas.

No entanto, para que este tipo de iniciativa tenha resultados positivos é fundamental que o mercado crie condições de conectividade propícias. Ou seja, a busca por reduzir a exclusão digital deve ir acompanhada por políticas que reduzem as exclusões analógicas. Ou ainda, gerar ferramentas que permitam equiparar as condições da população para que estas buscas possam ser potencializadas por iniciativas digitais.

Neste sentido, a geração de políticas que tem a favorecer a concorrência no setor de telecomunicações se volta ao momento de potencializar a conectividade na população. Da mesma forma, a geração de estratégias que permitam dispor de maior quantidade de espectro radioelétrico na indústria de telecomunicações é necessária para incentivar a conectividade. Em particular porque a tecnologia de acesso à banda larga sem fio, como pode ser a LTE apresenta-se como uma alternativa ideal para melhorar a conectividade em áreas rurais.

Assim, é necessário que as autoridades flexibilizem as travas burocráticas para a construção de rede de telecomunicações, incentivando dessa forma a indústria ao alcançar maiores coberturas de serviços. No mesmo sentido, torna-se necessária a redução imposta aos componentes de infraestrutura e aos dispositivos de acesso, estes últimos indispensáveis para aumentar a adoção da população.

Como pode-se observar a iniciativa de desenvolver centros TIC na Guiana tem muitas variáveis positivas e é interessante do ponto de vista da inclusão digital. No entanto também é importante que as autoridades gerem as condições necessárias para potencializá-la.